Desembargador indicado por Bolsonaro para o STF foi nomeado duas vezes por Lula

Indicação causou descontentamento no núcleo evangélico e em parte da base aliada de Jair Bolsonaro.

Redação AM POST

O desembargador, Kassio Nunes Marques, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF), tem em seu currículo duas nomeações assinadas pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para uma vaga no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PI).

A ligação com petistas é apenas uma das questões que têm feito o presidente Jair Bolsonaro ser criticado pela nomeação. O desembargador também já defendeu uma prefeita do PSDB do interior do Piauí em um caso na Justiça.

Continua depois da Publicidade

Marques se tornou juiz eleitoral no TRE em 2008, por meio de uma nomeação assinada em 15 de abril pelo então presidente Lula e pelo então ministro da Justiça Tarso Genro (PT-RS).

Nas duas vezes que o nome do magistrado foi enviado em lista tríplice pelo tribunal ao Ministério da Justiça para o presidente Lula, ele o escolheu. Na segunda vez era sua recondução ao mesmo cargo, em 2010. A nomeação foi assinada por Lula e pelo então ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto.

A segunda nomeação de Lula foi mais surpreendente que a primeira, pois Almeida Neto havia sido nada menos do que secretário de governo do então (e atual) governador do Piauí, Wellington Dias (PT). A escolha de Marques em detrimento de um membro do governo do Piauí foi recebida com surpresa, embora Marques tenha sido bem votado nas duas listas, a da OAB e a do TJ.

Continua depois da Publicidade

*Com informações do UOL