Pesquisar por em AM POST

Brasil

EUA autorizam colaboração de FBI para investigar venda de joias por Bolsonaro

O ex-presidente está sendo investigado por vender presentes recebidos de delegações de outros países.

  • Estadão Conteúdo

  • 24/10/2023 às 21:10

  • Atualizado em 25/10/2023 às 08:37

  • Leitura em dois minutos

blank

EUA autorizam colaboração de FBI para investigar venda de joias por Bolsonaro – Foto: Reprodução/TV Globo

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos aprovou o pedido de cooperação policial internacional para investigar a tentativa de venda de jóias e relógios da coleção do ex-presidente Jair Bolsonaro. As informações foram divulgadas por César Tralli, jornalista da GloboNews. A revelação do esquema foi feita pelo Estadão.

Em agosto, a Polícia Federal acionou o FBI, equivalente americano do órgão, para avançar nas investigações do esquema internacional no país. O ex-presidente está sendo investigado por vender presentes recebidos de delegações de outros países. Em março deste ano, o Estadão revelou que Bolsonaro levou consigo um terceiro lote de jóias recebidas do regime da Arábia Saudita quando deixou o cargo, no final de 2022.

PUBLICIDADE

Cid já forneceu informações importantes para a PF sobre a participação do ex-presidente no caso das jóias, no esquema de fraudes nos cartões de vacina e na tentativa de golpe de Estado após a eleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Em outro caso, a Polícia Federal cruzou dados de um anúncio em um site americano especializado em leilões de objetos de luxo e encontrou itens de um conjunto que teriam sido recebidos pelo então ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, após uma viagem à Arábia Saudita, em outubro de 2021.

De acordo com a apuração da GloboNews, foi autorizada a ida da Polícia Federal para acompanhar as diligências solicitadas nos Estados Unidos. O FBI poderá investigar os envolvidos no esquema, trazendo responsabilidades aos envolvidos em outro país.

PUBLICIDADE

O ex-presidente viajou para os Estados Unidos em dezembro daquele ano e permaneceu lá até março.

Na opinião de Bolsonaro, não há ilegalidade quanto ao destino das jóias que recebeu como presidente. Ele menciona uma portaria de 2018 do ex-presidente Michel Temer que classifica as pedras preciosas como itens de caráter pessoal.

PUBLICIDADE

Estadão Conteúdo

Faça parte da comunidade

  • Praticidade na informação

  • Notícias todos os dias

  • Compartilhe com facilidade

blank WhatsApp Telegram

Apoie o AM POST

O AM POST está há mais de 8 anos produzindo jornalismo sério e de qualidade. É uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Apoie

blank

Últimas notícias

blank
blank
blank
blank
blank
blank