Brasil

Ex-coordenador da Lava Jato, Deltan Dallagnol, renuncia cargo no MPF e deve entrar para a política

A expectativa é de que ele siga os passos do ex-juiz Sergio Moro e também se filie ao Podemos.


Redação AM POST

O procurador Deltan Dallagnol, ex-coordenador da Operação Lava Jato em Curitiba, pediu exoneração do Ministério Público Federal e deve entrar para a política nas eleições de 2022. A saída foi informada à Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) nesta quinta-feira (4). A demissão deve ser oficializada na próxima semana.

Continua depois da Publicidade

“Essa decisão de sair do Ministério Público não foi fácil. Eu tenho muito orgulho do Ministério Público e do trabalho que ele faz pela sociedade brasileira em diferentes áreas. Contudo, os nosso instrumentos de trabalho para alcançar a justiça vem sendo enfraquecidos”, disse ele, em vídeo publicado nas redes sociais.

O ex-procurador não deu detalhes sobre os próximos passos mas a expectativa é de que ele siga os passos do ex-juiz Sergio Moro e também se filie ao Podemos.

Deltan atuou por mais de 18 anos no MPF e coordenou a Lava Jato, em Curitiba, desde que a operação foi deflagrada, em 2014. A operação enfrentou uma série de reveses desde 2019. “[A Lava Jato] nos trouxe esperança de que nós podemos, sim, construir um país mais justo e melhor, em que a lei vale para todos”, disse. Ele deixou a chefia da força-tarefa em setembro do ano passado, por motivos pessoais.

Continua depois da Publicidade