O portal de notícias da Amazônia



Brasil

Influenciadores são peças-chave em esquema sobre o ‘Jogo do Tigrinho’ investigado pela Polícia

As autoridades suspeitam de uma ligação do game com um esquema de pirâmide financeira.

  • Por AM POST

  • 04/12/2023 às 09:40

  • Atualizado em 04/12/2023 às 09:41

  • Leitura em dois minutos

blank

Foto: Reprodução

Uma investigação policial está em curso sobre o “Jogo do Tigrinho”, um cassino on-line do tipo caça-níquel, que tem na divulgação por influenciadores nas redes sociais uma peça-chave para atrair usuários para o esquema ilegal de apostas. O jogo de azar já causou prejuízos consideráveis a usuários, e as autoridades agora suspeitam de uma ligação do game com um esquema de pirâmide financeira.

Os influenciadores desempenham um papel crucial na promoção do jogo ilícito, sendo contratados para atrair pessoas a apostarem. Essa prática é considerada ilegal no Brasil, e a polícia investiga a relação do “Jogo do Tigrinho” com o esquema de pirâmide, onde recrutam participantes com a promessa de retornos elevados, mas poucos realmente recebem grandes pagamentos.

PUBLICIDADE

Em vídeos nas redes sociais, influenciadores como Du Campelo, Gabriel, Ezequiel e Ricardo, ostentam riquezas e incentivam seus seguidores a participarem do jogo. O enriquecimento rápido desses influenciadores chamou a atenção da polícia paranaense. O delegado da Polícia Civil do Paraná, Thiago Dantas, destacou que o quarteto, antes motoboys comuns, em curto espaço de tempo apareceu com diversos carros importados e uma vida luxuosa.

Os influenciadores recebiam entre R$ 5 mil e R$ 15 mil por campanha de sete dias de divulgação da plataforma, alcançando um total de 1 milhão de seguidores. A polícia estima que o grupo tenha movimentado cerca de R$ 12 milhões em seis meses. Em uma operação realizada em 19 de novembro, Du Campelo, Gabriel e Ricardo foram presos em Curitiba, no Paraná, com a apreensão de carros de luxo, armas e dólares em espécie. Apesar da prisão, os três influenciadores foram soltos no mesmo dia.

Os suspeitos estão sendo investigados por crimes contra a economia popular, associação criminosa, exploração de loteria sem a autorização legal e lavagem de dinheiro. A polícia já desmobilizou um esquema semelhante no Maranhão, onde a influenciadora Hellena Silva foi detida em outubro por divulgar o “Jogo do Tigrinho”. Antes de ser presa, Hellena assinou um termo se comprometendo a não fazer mais propaganda para jogos de azar, mas violou o acordo, resultando em sua prisão em flagrante.

PUBLICIDADE

Redação AM POST

Faça parte da comunidade

  • Praticidade na informação

  • Notícias todos os dias

  • Compartilhe com facilidade

blank WhatsApp Telegram

Apoie o AM POST

O AM POST está há mais de 8 anos produzindo jornalismo sério e de qualidade. É uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Apoie

blank

Últimas notícias

blank
blank
blank
blank
blank