Pesquisar por em AM POST

Brasil

Lula é criticado por dizer que evitaria guerra na Ucrânia com cerveja

Ex-embaixatriz da Ucrânia no Brasil reclamou de declarações do ex-presidente e disse que a fala foi desrespeitosa.

  • Por AM POST

  • 05/04/2022 às 13:31

  • Leitura em 1 minuto

Redação AM POST*

Por meio das redes sociais, a ex-embaixatriz da Ucrânia no Brasil, Fabiana Tronenko, reclamou de declarações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a guerra na Ucrânia. Durante discurso na Uerj (Universidade Estadual do Rio de Janeiro), na semana passada, o petista comparou os diálogos diplomáticos sobre o conflito entre Rússia e Ucrânia com uma conversa de bar.

PUBLICIDADE

“Que desrespeito do ex-presidente Lula com o povo ucraniano e com todos os esforços do Presidente Zelensky! Liberdade, democracia e vidas não se resolvem em uma mesa de bar”, escreveu Fabiana.

O ex-presidente fez o comentário durante o Encontro Internacional Democracia e Igualdade. “Tem que avisar para o Putin, avisar para o presidente da Ucrânia, avisar para o Putin, parem com essa guerra. A quem interessa essa guerra? A razão para essa guerra, por tudo que eu escuto, por tudo que eu leio, seria resolvida aqui no Brasil numa mesa tomando cerveja… Se não na primeira cerveja, na segunda”, disse Lula, sendo aclamado por quem estava presente no evento.

A invasão russa do território ucraniano começou em 24 de fevereiro e gerou a destruição de cidades inteiras. O conflito também resultou, até agora, na morte de milhares de civis nas cidades ucranianas e ocasionou o óbito de militares de ambos os lados do conflito armado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Gostaria de pedir ao ex-presidente Lula, para não fazer esses tipos comparativos pejorativos com o massacre que o povo ucraniano está sofrendo. A dor de um povo, as vidas perdidas, residências e um país belíssimo destruído por loucuras de um déspota com desejo de expansão territorial a qualquer custo não se resolve em uma mesa de bar e muito menos depois de umas caixas de cerveja. Me sinto, como esposa, com familiares na Ucrânia e como representante da Ucrânia que fui à frente da Embaixada da Ucrânia em Portugal por 5 anos e na Embaixada da Ucrânia no Brasil por 10 anos e que continuo sendo, pois o cargo do meu marido é vitalício, me sinto ultrajada e desrespeitada com essa fala tão desrespeitosa, diante de TODO ESFORÇO HUMANO E DIPLOMÁTICO que o Presidente da Ucrânia Volodymyr Zelenskyi vem fazendo de forma incansável e de maneira admirável como ele está conduzindo a defesa do território ucraniano com ajuda do nosso exército e do seu povo bravo e guerreiro contra toda essa barbárie. Cada vida perdida, é uma dor incalculável! A destruição da Ucrânia, as mortes de crianças e pessoas inocentes, o terror psicológico com mais de 45 milhões de habitantes e o genocídio que ocorreu na cidade de Bucha e aos redores de Kyiv é de uma atrocidade sem tamanho e o culpado não pode sentar-se à uma mesa, tomar não sei quantas cervejas, brincar ou fazer graça até que se chegue a uma decisão. Se o senhor não entendeu, essa situação desoladora não é motivo de descontração e sim um massacre contra o povo ucraniano! As vidas ceifadas não voltarão mais! A destruição causada, levarão anos para serem reconstruídas. Os bombardeios, as sirenes, os tiros, as imagens dos canhões, as marcas nas paredes, prédios e casas destruídas, e as valas no meio da rua para enterrar inocentes, ficarão para sempre como cicatrizes marcadas no coração de cada um dos ucranianos que está nesse inferno, causado pelo país vizinho agressor. Um povo que nunca fez mal a ninguém! Um povo que está pagando um valor altíssimo pelo sonho de ser livre e democrático. Por isso, senhor ex-presidente, peço que o senhor tenha mais cuidado e respeito em seus discursos, pois a dor que estamos sofrendo e o terror que assola o coração do povo ucraniano e dos 10 milhões de refugiados não se resolvem numa mesa de bar e sim na diplomacia de países sérios e no apoio sincero, caloroso e humano que a Ucrânia vem recebendo dos quatro cantos do mundo.Essa guerra não começou há um mês e sim há 8 anos, mais precisamente em fevereiro de 2014, com a ocupação ilegal da Crimea-Ucrânia, e me recordo que na época a ex-presidente Dilma nunca se preocupou em dizer uma palavra de apoio a Ucrânia, mas declarava publicamente que o seu governo nunca teria posição sobre a questão da Crimea, e em julho de 2014 quando militares russos abateram o avião MH-17, com 298 pessoas a bordo, sendo 20 crianças ela disse que foi uma tentativa de derrubar o avião do presidente Putin, que retornava do Brasil, se negando a reconhecer os verdadeiros vilões.Acredito que todo esforço e garra do presidente Zelenskyi, que tem se demonstrado um Grande Líder, surtirão efeitos. No que dependesse dele, essa guerra maldita contra o povo ucraniano nem teria começado!

Posted by Embaixatriz Fabiana Tronenko on Monday, April 4, 2022

PUBLICIDADE

*Com informações do R7

O AM Post apoia a causa autista
blank

Autismo: Todos na mesma maré, mas em embarcações diferentes.

- Gretchen Stipp

Faça parte da comunidade

  • Praticidade na informação

  • Notícias todos os dias

  • Compartilhe com facilidade

blank WhatsApp Telegram

Apoie o AM POST

O AM POST está há mais de 8 anos produzindo jornalismo sério e de qualidade. É uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Apoie

blank

Últimas notícias

blank
blank
blank
blank
blank
blank