Brasil

Mayra Pinheiro processa Omar Aziz e pede indenização de R$ 100 mil por danos morais

A defesa argumenta que Omar Aziz abusou de “sua função privilegiada para humilhar, discriminar e aniquilar a reputação” de Mayra.

A secretária do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, protocolou uma ação contra o presidente da CPI da Covid, Omar Aziz (PSD-AM) por suposta divulgação de dados pessoais. A defesa da secretária de Gestão do Trabalho e Educação da pasta pretende impedir a divulgação de material coletado na quebra do seu sigilo. A ação foi protocolada na Vara Cível do Distrito Federal, e pede ainda a suspeição de Aziz.

No documento, a defesa argumenta que Omar Aziz abusou de “sua função privilegiada para humilhar, discriminar e aniquilar a reputação” de Mayra e pedem o pagamento de indenização por danos morais no valor de R$ 100 mil, “pela grave ofensa praticada, de inestimável repercussão, contra o conceito e à imagem” da médica.

Continua depois da Publicidade

Mayra prestou depoimento à comissão no dia 25 de maio. Após o depoimento, informações que estavam com a CPI sobre ela foram divulgadas na imprensa, como mostrou a CNN Brasil. O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, determinou nesta segunda-feira (26) que Aziz se manifeste em cinco dias sobre o suposto vazamento de informações sigilosas para a imprensa.

Os advogados solicitam ainda deferimento da tutela para proibir Aziz de citar o nome dela publicamente, em qualquer circunstância, sob pena do pagamento de multa no valor de R$ 10 mil. Além disso, a defesa solicita que, caso seja acatada a suspeição do senador, ele seja proibido de presidir a CPI, em um eventual novo depoimento da secretária; e também pede que a investigação do vazamento de e-mails da secretária seja conduzida pela Polícia Federal.