Pesquisar por em AM POST

Brasil

Moraes atende pedido da PGR e mantém prisão preventiva de Roberto Jefferson

A PGR afirma que não existem motivos para flexibilizar a prisão e que a medida foi determinada após repetidos descumprimentos das medidas cautelares.

  • Estadão Conteúdo

  • 02/10/2023 às 18:42

  • Leitura em três minutos

blank

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu manter a prisão preventiva do ex-deputado Roberto Jefferson no inquérito das milícias digitais.

Roberto Jefferson está internado desde junho em um hospital particular no Rio de Janeiro. Moraes afirmou que ‘todas as questões relativas ao quadro clínico de saúde’ estão sendo avaliadas, mas manteve a ordem de prisão.

PUBLICIDADE

O mais recente relatório médico indicou que o ex-parlamentar poderia ter alta, mas a Secretaria de Administração Penitenciária do Rio informou que

O juiz Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu manter a detenção antecipada do ex-parlamentar Roberto Jefferson no inquérito das gangues digitais.

Roberto Jefferson está hospitalizado desde junho em uma clínica particular no Rio de Janeiro. Moraes afirmou que ‘todas as questões relativas ao estado de saúde’ estão sendo avaliadas, mas manteve a ordem de reclusão.

PUBLICIDADE

O mais recente relatório médico indicou que o ex-parlamentar poderia ter alta, mas a Secretaria de Administração Prisional do Rio informou que não possui estrutura adequada no presídio para fornecer o acompanhamento médico necessário.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) foi contra revogar a detenção antecipada. O órgão afirma que não existem motivos para flexibilizar a prisão e que a medida foi determinada após repetidos descumprimentos das medidas cautelares.

PUBLICIDADE

“A prisão preventiva trata-se da única medida razoável, adequada e proporcional para garantia da ordem pública com a cessação da prática criminosa reiterada”, argumentou a PGR em parecer enviado ao STF na semana passada.

Histórico

Roberto Jefferson foi preso pela primeira vez na investigação ainda em agosto de 2021, por ataques antidemocráticos. Ele foi colocado em prisão domiciliar, com tornozeleira eletrônica e sem acesso a redes sociais, cerca de seis meses depois.

PUBLICIDADE

Um novo mandado de prisão preventiva foi emitido depois que o ex-deputado atacou a ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal, em um vídeo publicado nas redes. Ela foi comparada a ‘prostitutas’ e ‘vagabundas’.

Quando a Polícia Federal foi tentar cumprir o mandado de prisão, na casa de Roberto Jefferson, em Lévy Gasparian, no Rio de Janeiro, os agentes foram recebidos a tiros. Foram pelo menos 50 disparos. O ex-deputado também lançou três granadas. Ele só se entregou no dia seguinte.

Dois agentes foram feridos por estilhaços, o que levou a PF pedir o indiciamento do ex-deputado por tentativa de homicídio. A denúncia foi aceita em dezembro de 2022.

Estadão Conteúdo

O AM Post apoia a causa autista
blank

A mente de uma criança com Transtorno do Espectro Autista pode ser associada a um quebra-cabeças. Parece difícil de entendê-la no primeiro momento. Porém, quando utilizamos a metodologia certa as tornamos fácil e percebemos que as dificuldades podem ser superadas.

- Jorge Tertuliano

Faça parte da comunidade

  • Praticidade na informação

  • Notícias todos os dias

  • Compartilhe com facilidade

blank WhatsApp Telegram

Apoie o AM POST

O AM POST está há mais de 8 anos produzindo jornalismo sério e de qualidade. É uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Apoie

blank

Últimas notícias

blank
blank
blank
blank
blank
blank