MP Eleitoral quer julgamento conjunto de ações contra chapa Bolsonaro-Mourão e quebra de sigilo de Luciano Hang

O presidente nega ter cometido qualquer irregularidade nas eleições de 2018.

Reuters

O vice-procurador-geral Eleitoral, Renato Brill de Góes, defendeu que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) julgue conjuntamente quatro ações que podem levar a cassação da chapa formada pelo presidente Jair Bolsonaro e o vice Hamilton Mourão por abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação nas eleições de 2018.

Continua depois da Publicidade

Comunicado da Procuradoria-Geral da República nesta quarta-feira diz que o Ministério Público Eleitoral quer que o TSE acolha pedidos de quebras de sigilo bancário e fiscal de cinco investigados, dentre eles do empresário Luciano Hang, apoiador de Bolsonaro.

Brill de Góes pediu ainda que o tribunal espere o “resultado final do compartilhamento parcial de provas” reunidas no inquérito das fake news, em curso no Supremo Tribunal Federal.

Bolsonaro nega ter cometido qualquer irregularidade nas eleições de 2018. Em junho, no auge do embate entre ele e integrantes da cúpula do Poder Judiciário, o presidente ameaçou e chegou a dizer que as Forças Armadas não aceitariam um “julgamento político”. A fala ocorreu na época em que o TSE apreciaria dois processo que poderiam cassar a chapa presidencial vitoriosa.

Continua depois da Publicidade