Pazuello muda versão sobre data de alerta da falta de oxigênio em Manaus

Em depoimento à PF, o ministro mudou a versão do governo e afirmou que não soube do colapso no fornecimento de oxigênio a Manaus (AM) no dia 8 de janeiro.

Redação AM POST

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou à Polícia Federal que não soube do colapso no fornecimento de oxigênio a Manaus em 8 de janeiro, contrariando a versão apresentada pela Advocacia-Geral da União ao Supremo Tribunal Federal. A informação foi divulgada pelo jornal O Estado de S. Paulo, nesta sexta-feira 26.

Continua depois da Publicidade

Em depoimento sigiloso à PF, no dia 4 de fevereiro, o general declarou que a data foi inserida por engano em uma manifestação oficial do governo em outro processo no STF, que trata da garantia da vacinação contra a Covid-19. O militar, no entanto, não apontou a data em que soube do colapso.

Porém, segundo manifestação do chefe da AGU, José Levi, o Ministério da Saúde ficou sabendo em 8 de janeiro da “crítica situação do esvaziamento de estoque de oxigênio em Manaus”.

“O equívoco se deu em virtude do prazo exíguo de 48 horas para apresentação da resposta junto ao STF”, disse Pazuello no depoimento.

Continua depois da Publicidade

Além disso, o próprio Pazuello havia dito, em 18 de janeiro, que soube da falta do insumo pela empresa White Martins, fornecedora na região.