Pesquisar por em AM POST

Brasil

Professora da USP gera polêmica ao falar sobre ‘direito à sexualidade’ nos abrigos do RS

Declarações de Marilia Moscou tiveram repercussão negativa no X.

  • Por AM POST

  • 13/05/2024 às 07:25

  • Leitura em dois minutos

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Uma declaração da professora de sociologia da Universidade de São Paulo (USP), Marilia Moscou, causou grande polêmica ao abordar o tema do “direito à sexualidade” das pessoas em abrigos no Rio Grande do Sul, após as recentes inundações no estado. A controvérsia surgiu quando Marilia Moscou defendeu a necessidade de discutir seriamente o assunto, enfatizando que as vítimas das inundações não sairão dos alojamentos “tão cedo”.

A declaração da professora, feita em uma plataforma de mídia social, incluiu a menção a temas como sexo entre adultos consentidos, masturbação e outros aspectos da sexualidade, incluindo para adolescentes, durante situações de crise como essa.

PUBLICIDADE

Após a repercussão negativa de suas declarações, Marilia excluiu sua conta na plataforma e se manifestou brevemente no Instagram, bloqueando os comentários. Ela explicou que existe um debate documentado sobre o direito à sexualidade em situações extremas, como campos de refugiados, e defendeu que o direito à sexualidade faz parte de ser tratado como um ser humano.

Marilia também afirmou que as pessoas abrigadas são, de fato, refugiadas climáticas e que suas necessidades, incluindo a sexualidade, precisam ser consideradas. Ela justificou sua saída da plataforma de mídia social, alegando que não queria que suas postagens tivessem um alcance tão grande, especialmente porque ela tinha quase 30 mil seguidores.

A professora reiterou sua posição em relação aos direitos sexuais e reprodutivos, destacando sua relevância em relação às mudanças climáticas. Ela afirmou que continuará pesquisando, refletindo e mobilizando conhecimento nessa área.

PUBLICIDADE

Marilia Moscou se descreve em seu perfil como não-monogâmica e indica ser pesquisadora nas áreas de sexualidade, gênero e estudos críticos da família.

Redação AM POST

PUBLICIDADE

O AM Post apoia a causa autista
blank

A mente de uma criança com Transtorno do Espectro Autista pode ser associada a um quebra-cabeças. Parece difícil de entendê-la no primeiro momento. Porém, quando utilizamos a metodologia certa as tornamos fácil e percebemos que as dificuldades podem ser superadas.

- Jorge Tertuliano

Faça parte da comunidade

  • Praticidade na informação

  • Notícias todos os dias

  • Compartilhe com facilidade

blank WhatsApp Telegram

Apoie o AM POST

O AM POST está há mais de 8 anos produzindo jornalismo sério e de qualidade. É uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Apoie

blank

Últimas notícias

blank
blank
blank
blank
blank
blank