Brasil

“Será um prazer”, diz Luciano Hang sobre convocação para depor na CPI da Covid

O empresário acusa a CPI de usar morte da mãe como ‘artifício político’.

Redação AM POST

A CPI da Covid aprovou requerimento do relator Renan Calheiros (MDB-AL) para convocar o empresário Luciano Hang, dono da Havan, à comissão. Na oitiva de Pedro Benedito Batista Jr., diretor da Prevent Senior, foi discutido o caso da mãe de Hang, que morreu em fevereiro no hospital Sancta Maggiore, da Prevent. Suspeita-se que a paciente foi submetida a tratamento com ozônio, não permitido pelo Conselho Federal de Medicina, e que foi omitida a covid-19 como causa mortis no atestado de óbito. O depoimento está marcado para a próxima quarta-feira, 29.

Continua depois da Publicidade

O empresário afirmou que recebeu com “tranquilidade” a informação de que foi convocado para depor, como testemunha, na CPI da Covid-19. Ele será sabatinado pelos senadores na próxima quarta-feira (29/9).

“Será um prazer estar presente e falar de todo o trabalho que nós fizemos, visando ajudar no enfrentamento da pandemia, buscando auxiliar na saúde do povo brasileiro e também na economia”, afirmou em nota.

“Desde o princípio, nós falamos que era preciso cuidar da saúde, sem descuidar da economia. Estou totalmente à disposição para esclarecer qualquer questionamento”, escreveu Hang.

Continua depois da Publicidade

Em nota divulgada ontem (22), Hang criticou membros da CPI da Covid, sem citar nomes. “Lamento que um assunto tão delicado seja usado como artifício político para me atingir, pelo simples fato de eu não concordar com as ideias de alguns membros que fazem parte dessa CPI”.

A CPI também ouvirá, na próxima terça-feira, 28, a advogada Bruna Morato, que representa os médicos da Prevent Senior que elaboraram um dossiê sobre irregularidades no tratamento de pacientes com covid-19.

Continua depois da Publicidade