Brasil

Solto pelo STF, traficante André do Rap completa 1 ano foragido

Narcotraficante saiu pela porta da frente da prisão após decisão do ex-ministro Marco Aurélio Mello.

Um dos atos mais polêmicos tomados por um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) em 2020, a liberação do narcotraficante André Oliveira Macedo, o André do Rap, por decisão do então ministro Marco Aurélio de Mello, completou um ano no último domingo, dia 10 de outubro, data em que ele saiu da Penitenciária 2 de Presidente Venceslau (SP) pela porta da frente.

Condenado a 15 anos e seis meses por tráfico internacional de drogas, André do Rap até chegou a ter a liberdade cassada horas depois pela própria Suprema Corte, por meio de ato do presidente do STF, Luiz Fux, mas já era tarde.

Continua depois da Publicidade

Ao assinar o alvará de soltura, o narcotraficante forneceu como endereço um imóvel no Guarujá, na Baixada Santista. Ele “prometeu” ir para a casa. Entretanto, segundo investigações policiais, ele tomou outro rumo: foi de carro para o Paraná e, de lá, sumiu.

Atualmente, as suspeitas do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Presidente Prudente, subordinado ao Ministério Público do estado de São Paulo, são de que André do Rap esteja escondido na Bolívia junto com outros narcotraficantes da facção Primeiro Comando da Capital (PCC).

Na época, o traficante estava preso desde 14 de setembro de 2020. Ele foi capturado por policiais civis em um condomínio de luxo em Angra dos Reis, no litoral sul fluminense. Na casa de alto padrão havia dois helicópteros e um iate de 60 pés avaliado em R$ 6 milhões.

Continua depois da Publicidade

Com ele, ainda foram presos Luciano Hermenegildo Pereira e Jefferson Moreira da Silva. Eles, assim como o traficante hoje foragido, também foram condenados. Os três réus foram identificados e investigados durante a Operação Oversea, da Polícia Federal. Os agentes apuraram que André do Rap liderava uma quadrilha responsável pelo envio de toneladas de cocaína para a Europa.

Fonte: Pleno.News

Continua depois da Publicidade