Corpos de homens mortos por Covid-19 são trocados no Hospital Delphina Aziz

Devido falha do hospital uma das famílias chegou a enterrar o corpo de um homem que achava ser seu ente.

Redação AM POST

O corpo do enfermeiro Gilberto Pinheiro da Silva, de 31 anos, que trabalhou na linha de frente durante toda a pandemia, foi enterrado por engano pela família de Gilberto Tomé de Oliveira, ambos mortos por Covid-19 no domingo (27), devido troca de defuntos ocorrida no Hospital Delphina Aziz, referência para tratamento da doença em Manaus.

A confusão foi descoberta quando familiares do enfermeiro foram chamados para a liberação do corpo. O irmão do profissional de saúde, Helieverson da Silva, afirma que esperou por mais de 3 horas para ser informado pelo hospital que o corpo do irmão dele havia sido entregue e enterrado por outra família.

Continua depois da Publicidade

Além disso o homem conta que teve que ouvir de servidores da unidade hospitalar frases como: ‘vão ter que esperar, porque ele é só mais um que morreu por Covid’.

De acordo com Helieverson, após esclarecimento da situação a família do outro Gilberto recebeu o corpo correto e realizou um novo sepultamento. No entanto, a família do enfermeiro aguarda decisão judicial para exumação (desenterro) de seu corpo do cemitério.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) declarou que a falha ocorreu durante liberação para o serviço funerário, por se tratarem de pessoas com o mesmo nome e que será aberta uma sindicância para investigar o Instituto Nacional de Desenvolvimento Humano (INDSH), responsável por administrar o Hospital Delphina Aziz, e determinar as responsabilidades pelo ocorrido.

Continua depois da Publicidade

“A SES-AM ressalta que não aceita esse tipo de falha, se desculpa pelo terrível equívoco e reforça que dará todo apoio necessário às famílias para reparar o transtorno causado neste momento de dor”, diz trecho da nota.