Coronavírus

DJ que anima o mutirão Vacina Amazonas aproveita para se imunizar

O jovem, que trabalha animando festas, vê na vacinação a oportunidade de vencer essa pandemia, que colocou restrições e afetou diretamente também o setor de eventos.

Redação AM POST

O DJ Luccas Ribeiro, 24, aproveitou que estava animando o mutirão Vacina Amazonas, nesta quinta-feira (22/07), no Centro de Convenções Vasco Vasques, para iniciar sua imunização contra a Covid-19 com a primeira dose.

Continua depois da Publicidade

Após ser imunizado, o DJ fez um apelo para que mais jovens procurem pela vacina, durante o mutirão que segue até meia noite. “É um prazer estar aqui no mutirão, trazendo um sorriso e levando muita música boa pra todos aqui. E como eu acabei de ser imunizado, quero compartilhar isso com os meus amigos para que venham se vacinar e curtir uma música boa, que o ambiente está muito agradável e receptivo”, reforçou.

O jovem, que trabalha animando festas, vê na vacinação a oportunidade de vencer essa pandemia, que colocou restrições e afetou diretamente também o setor de eventos, onde muitos precisaram se reinventar e adotar as lives como um novo ambiente de trabalho.

“É um momento que muitas pessoas têm aguardado, todos querem se ver livres desse vírus e dessa doença. E com a vacinação muito em breve nós estaremos nos encontrando não só em lives, mas em eventos pra curtirmos música”, disse Luccas.

Continua depois da Publicidade

O posto de vacinação em funcionamento no Centro de Convenções do Vasco Vasques conta com 30 pontos de vacinação, com uma média de 400 servidores da Secretaria de Saúde do Estado do Amazonas (SES-AM) e de outras secretarias estaduais.

“Estão participando aqui na vacinação as unidades de saúde, trazendo como apoio ao Vacina Amazonas: registrador, vacinador, pessoal de apoio. Nós temos aqui, hoje, outras secretarias. Então, é um conjunto de profissionais que fazem parte do Governo do Estado, em parceria com a Prefeitura de Manaus, contribuindo para que o Vacina Amazonas hoje vá até meia-noite”, explicou a secretária executiva adjunta de Políticas em Saúde (SEAPS), Nayara Maksoud.

Continua depois da Publicidade