Falta de espaço em necrotério faz corpos de vítimas da covid-19 ficarem expostos em unidade hospitalar

Os corpos foram deixados em frente à sala de emergência que fica na portaria.

Redação AM POST*

Cinco pessoas morreram, com Covid-19, na Unidade de Pronto atendimento (UPA) do bairro Pampulha, desde quarta-feira (31). Por falta de espaço no necrotério da unidade, dois corpos foram deixados em frente à sala de emergência que fica na portaria da UPA na manhã desta quinta-feira (1º), aguardando remoção.

Continua depois da Publicidade

Em nota, a Prefeitura de Belo Horizonte informou que as UPAs da capital têm apresentado um aumento na procura por atendimentos para pacientes com sintomas da covid-19 e que a Secretaria Municipal de Saúde está trabalhando para que todos sejam atendidos.

“A covid-19 é uma doença grave e muitos casos evoluem para óbito. Infelizmente ocorreram óbitos na UPA Pampulha. É importante esclarecer que essas pessoas estavam sendo assistidas por profissionais na sala de emergência”, comunicou a Prefeitura.

Ainda de acordo com o governo municipal de Belo Horizonte, na Pampulha foi aberto o Centro de Saúde Santa Terezinha para atender pessoas que não apresentam sintomas respiratórios ou que apresentam casos com baixa e média complexidade, além de casos de pediatria.

Continua depois da Publicidade

“A estratégia visa ampliar o atendimento dos pacientes da região, deixando as UPAs dedicadas, prioritariamente, ao atendimento dos casos sintomáticos respiratórios”, informou a Prefeitura.

O Sindibel (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Belo Horizonte) denuncia que nas UPAs da cidade usuários e trabalhadores sofrem com as mortes e situações de catástrofe.

Continua depois da Publicidade

*Com informações do UOL