Governo do AM foi “irresponsável” ao fazer flexibilização, praticamente, generalizada, diz cientista da Fiocruz

Ele também classificou nota enviada pela FVS-AM como “desrespeitosa”.

Redação AM POST

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) divulgou na última quarta-feira (16) nota com dados sobre a Covid-19 no Estado, no entanto, o cientista Jesem Orellana, da Fundação Oswaldo Cruz – Fiocruz Amazônia considerou a o texto desrespeitoso. Ele também afirma que o Amazonas vive uma segunda onda da pandemia. A informação é do D24am.

De acordo com a FVS-AM, houve um aumento da ocupação em 6% nos leitos públicos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 10% nos leitos privados. Nos leitos clínicos, houve um crescimento de 20% de ocupação na rede pública e 30% na rede privada.

Continua depois da Publicidade

Muito se alertou sobre a possibilidade de uma segunda onda da doença no Estado mas o governo do Amazonas optou por flexibilização e se tornou o primeiro do Brasil a reabrir as escolas.

“A nota da FVS foi desrespeitosa com a sociedade. Essas pessoas que estão se contaminando, são as pessoas que estavam em isolamento, devido à atitude irresponsável do Governo do Estado do Amazonas e da FVS-AM, fazendo uma flexibilização, praticamente, generalizada. Se você como autoridade sanitária, autoriza as pessoas a fazerem isso, e claramente tem uma baixíssima capacidade para fiscalização, obviamente a Covid-19 vai aumentar, os casos irão aumentar e isso já está sendo mostrado pelos boletins”, declarou Jesem Orellana.

Capital
O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, anuncia nesta sexta-feira, 18/9, a intensificação e novas estratégias de combate à propagação da Covid-19, causada pelo novo coronavírus.

Continua depois da Publicidade

As medidas a serem anunciadas consideram os registros recentes da equipe de vigilância epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), que vem mostrando um aumento na demanda espontânea de casos suspeitos de Covid-19 nas 11 Unidades Básicas de Saúde preferenciais para esse atendimento, embora os números ainda não permitam afirmar uma “segunda onda” de casos.

Nos dez primeiros dias do mês de agosto foram registrados 2.045 novos casos. Em igual período de setembro, esse número chegou a 2.263 confirmações. Diante do aumento, a prefeitura novamente se antecipa nas medidas preventivas e de reforço à Covid-19.