Coronavírus

Para evitar lockdown, Pequim planeja testar 20 milhões de moradores até sábado

Devido ao novo surto, moradores estocam alimentos.


Reutears

Três quartos dos 22 milhões de habitantes de Pequim fizeram fila para testes de covid-19 nesta terça-feira (26), enquanto autoridades da capital chinesa lutam para conter novo surto da doença e evitar um lockdown em toda a cidade, o que tem afetado Xangai.

Continua depois da Publicidade

Diante das dificuldades do maior centro comercial da China para atender às necessidades básicas de seus 25 milhões de habitantes, cada vez mais frustrados com o isolamento, as pessoas estão estocando alimentos e suprimentos.

Vídeos nas redes sociais mostram moradores se inclinando para fora das janelas de Xangai, a fim de bater panelas em protesto.

Pequim espera evitar esse drama agindo rapidamente. Iniciou os testes ontem em seu distrito mais populoso, de Chaoyang. À noite, as autoridades listaram mais dez distritos e uma zona de desenvolvimento econômico para testes obrigatórios nesta semana, cobrindo um total de 20 milhões de pessoas, das quais 16 milhões deveriam fazer exames nesta terça-feira.

Continua depois da Publicidade

As determinações ocorrem dias depois de dezenas de infecções terem sido registradas. Xangai esperou cerca de um mês e mais de 1.000 casos antes de lançar testes em toda a cidade, no início de abril.

Liu Wentao, um cozinheiro de Pequim, afirmou que está preocupado com o novo surto, mas confiante de que a capital pode lidar com isso.

Continua depois da Publicidade

“Os controles de vírus são mais fortes do que em outros lugares, não acho que será como Xangai”, afirmou, a caminho do teste.

Pequim registrou 33 novos casos de covid-19 em 25 de abril, acima dos 19 do dia anterior, sem mortes registradas. O número total de casos é minúsculo em comparação com centenas de milhares em Xangai.

Continua depois da Publicidade