Prefeito Arthur Neto diz que Governo do AM maquia número de mortos por covid-19

Segundo ele o número de mortos é bem mais alto, com casos que são, claramente, de covid-19 travestidos com outro nome.

Redação AM POST

O prefeito de Manaus, Arthur Neto, afirma que os números de mortos pela covid-19 são subestimados pelo governo do estado e que não se pode, ainda, falar em “segunda onda” de contaminações. Ele foi entrevistado nesta terça-feira (20) pelo colunista, Diogo Schelp, do UOL.

De acordo com Arthur Neto o governo maquia o número de mortes pela doença. “A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas fez uma coisa meio mancomunada com o governo do Estado, uma coisa esquisita, minimizando as mortes, dizendo: ’41 mortes, nenhum covid’. Agora estão ajeitando, então já aparecem 6 [pacientes com] covid, 7 covid, 8 covid, 4 covid. E aparecem eufemismos: crise respiratória/suspeita de covid, mas eles anunciam na estatística como crise respiratória. A gente sabe que crise respiratória, pneumonia, é a covid”, disse.

Continua depois da Publicidade

Ainda segundo o prefeito o número de mortos é bem mais alto, com casos que são, claramente, de covid-19 travestidos com outro nome.

Ele também voltou a falar do lockdown e como pretendia fazer. “Eu pensava em fazer uns 15 dias de lockdown, pesado mesmo, que dói, mas que resolve. Mas não ocorreu, o governo do estado não quis. O governador [Wilson Lima, do PSC] queria abrir, mas eu dizia: ‘Abrir o quê, se não fechamos nada?’. O gestor verdadeiro tem uma única opção: ele evita o desastroso, sendo desagradável”, declarou.