Respiradores adquiridos no inicio da pandemia são encontrados em sala desativada de policlínica

A denúncia foi feita por servidor da unidade hospitalar

Redação AM POST

Respiradores pulmonares que vieram do Hospital de Campanha da Nilton Lins e diversas Cápsulas Vanessa estão guardado em uma sala fechada da Policlínica Gilberto Mestrinho, no Centro de Manaus. A denúncia foi feita por um servidor da unidade hospitalar ao apresentador do Diário do Amazonas, Alex Braga.

“Recentemente descobriram que dentro do laboratório que está fechado, por ter sido inativado desde 2014, tem guardado respiradores e cápsulas Vanessa. A pergunta é: por que isso está guardado na policlínica se somos ambulatório e a pandemia ainda não acabou?”, questionou a fonte que também enviou imagens.

Continua depois da Publicidade

Em reunião com os servidores de saúde da Policlínica Gilberto Mestrinho, foi anunciado pelo governo do Amazonas que em novembro a direção da unidade será assumida pelos Bombeiros Militares. A fonte confidencial do jornalista revelou que “iremos ser devolvidos, mas antes temos que passar nossas funções aos aprovados dos bombeiros”, disse.

Segundo a fonte, existe algo suspeito nessa ‘parceria’ entre as instituições. “A antiga diretora da Policlínica Gilberto Mestrinho, Maximina Malagueta estava na unidade no período da pandemia de Covid-19. Ela foi chamada para assumir a gerência financeira do Hospital de Campanha Nilton Lins, ficando nas duas unidades”. Na época, a maioria dos funcionários foram liberados e outros passaram a trabalhar em revezamento. “Sendo assim, a policlínica fechava cedo e ela tinha tempo suficiente, tanto pra levar materiais da Policlínica para o Hospital Nilton Lins como trazer o que fosse necessário para esconder (acredito eu) na policlínica”, revelou. Apenas neste ano, a unidade teve oito diretores.

Veja fotos:

Continua depois da Publicidade

*Com informações do D24am