Cristina Monte

Por que você deve pensar com carinho na Economia Prateada?

Tá todo mundo querendo ter a ideia de US$ 1 milhão, afinal quem não deseja criar um negócio rentável, inovador e que transforme a vida das pessoas?

Cristina Monte

Certamente, você já deve ter ouvido falar sobre a Economia Prateada, mas se não ouviu, eis que vou te contar por que é interessante pensar nesse segmento pelo aspecto comercial. Vamos lá: emprego sumiu, tá pensando em abrir um negócio, mas com tanta concorrência e a grana curta, qual nicho seria mais atrativo em termos de retorno financeiro? Tá todo mundo querendo ter a ideia de US$ 1 milhão, afinal quem não deseja criar um negócio rentável, inovador e que transforme a vida das pessoas? Mas, com tanta concorrência não é fácil pensar em algo ainda a ser desenvolvido, mas vai uma mãozinha aí.

Continua depois da Publicidade

Os mais experientes são a bola da vez
É nesse ponto que entra a Economia Prateada como uma ótima opção de negócios e o porquê vem a seguir. A gente sempre ouve dizer que a população brasileira tá envelhecendo e os dados confirmam isso. A Organização das Nações Unidas (ONU) prevê que seremos mais de 2 bilhões de seres humanos com 60 anos ou mais até 2050, sendo que em 2015 esse número chegava a 900 milhões de pessoas. Isso se traduz também em mais aposentados, ou seja, circulação de dinheiro na economia.

Por muito tempo esse nicho se viu desprezado pelas empresas de modo geral. O grupo dos cabelos brancos não era visto como potencial mercado consumidor, mas, nesses últimos anos, percebeu-se que esse público consome sim, gosta de novidades e continua firme, forte e participa ativamente tanto no mercado de trabalho quanto na vida social.

Economia prateada em franca expansão
Além do número crescente de pessoas com mais de 60 anos é importante lembrar que essa geração construiu patrimônio, recebe aposentadoria e, de acordo com dados da pesquisa Tsunami 60+, realizada pelo Hype60+ e pelo Pipe.Social, eles estão trabalhando: 93% das pessoas com mais de 75 anos possuem renda própria! Por conta disso, estamos vivendo a ascensão do que chamamos de Economia Prateada, que – de acordo com a pesquisa – é a soma de todas as atividades econômicas associadas às necessidades das pessoas com mais de 50 anos e os produtos e serviços que elas consomem diretamente ou virão a consumir no futuro. Estimada como a terceira maior economia do mundo, a Economia Prateada movimenta mundialmente US$ 7,1 trilhões anualmente e no Brasil essa participação chega a cerca de R$1,6 trilhões ao ano. E, apesar do número parecer representar um mercado já consolidado, não é o que acontece na prática, pois, ainda conforme a pesquisa, foi verificado que existem poucos produtos e serviços que são desenhados, construídos, testados e distribuídos pensando na perspectiva das pessoas mais velhas. Elas acabam consumindo produtos que não são 100% adequados, nem resolvem totalmente seus problemas, nem lhes agradada totalmente. Eis aí um bom nicho para ser trabalhado!

Continua depois da Publicidade