Bolsonaro fala sobre extensão de auxílio emergencial: “Pergunta pro vírus”

Ele disse que espera que não seja necessário prorrogar o auxílio, que tem fim previsto para dezembro.

Ao ser perguntado na noite desta terça (24) sobre uma possível prorrogação do auxílio emergencial, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que o questionamento deveria ser direcionado ao novo coronavírus.

“Pergunta pro vírus”, afirmou o presidente em conversa com apoiadores na chegada ao Palácio da Alvorada.

Continua depois da Publicidade

Bolsonaro disse que espera que não seja necessário prorrogar o auxílio, que tem fim previsto para dezembro, mas que “tem que esperar certas coisas acontecerem.”

Ele também aproveitou para relembrar que nunca apoiou “essa ideia do confinamento” e que sempre defendeu a ideia de “isolamento vertical”, que é restrito a pessoas idosas ou que tenham problemas de saúde pré-existentes.

“Infelizmente a decisão coube aos governadores e prefeitos”, disse. “Se não fosse toda aquela quantidade de auxílios que nós fizemos no passado, entre eles o emergencial, realmente a economia teria quebrado no Brasil. Então a gente espera que não seja necessário e que o vírus esteja realmente de partida do Brasil.”

Continua depois da Publicidade

Na segunda (23), o ministro da Economia Paulo Guedes afirmou em evento virtual com investidores, Paulo Guedes afirmou que “do ponto de vista do governo, não existe a prorrogação do auxílio emergencial”.

“Evidente que há muita pressão política para isso acontecer, é evidente que tem muita gente já falando em segunda onda”, disse Guedes Nós estamos preparados para reagir qualquer evidência empírica. Se o Brasil tiver de novo 1 mil mortes (por dia), nós já sabemos como reagir.”

Continua depois da Publicidade

Fonte: Yahoo