Debate na Aleam revela que é possível abertura gradual do comércio

As empresas alegam que estão no limite e estimam pelo menos 10 mil demissões se o comércio continuar fechado.

Redação AM POST

Informações apresentadas na Audiência Pública promovida pela Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) com empresários do comércio e representantes da saúde no Amazonas, sobre a retomada das atividades econômicas, apontam que é possível a abertura gradual do comércio a partir da adoção efetiva de medidas preventivas, mas há dificuldades a serem enfrentadas.

Continua depois da Publicidade

A informação foi confirmada pelo representante da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) Daniel Barros, após sugestões apresentadas por deputados estaduais e empresários do setor sobre a necessidade de flexibilizar as medidas restritivas para amenizar os prejuízos aos comerciantes e evitar demissões em massa. As empresas alegam que estão no limite e estimam pelo menos 10 mil demissões se o comércio continuar fechado.

Segundo os proponentes da Audiência Pública, deputados Roberto Cidade (PV), presidente do Parlamento, e Josué Neto (Patriota), vice-presidente da Casa, as sugestões apresentadas na reunião, serão enviadas para análise do Governo do Estado e Prefeitura de Manaus. Entre elas estão: a ampliação da frota de ônibus para evitar aglomerações nos coletivos e adoção de dias e horários diversificados para funcionamento do comércio.

“Vimos aqui que é possível a reabertura do comércio, de forma responsável e com a adoção de medidas preventivas. Iremos encaminhar essas sugestões ao Governo do Estado e à Prefeitura de Manaus para tentar evitar que tantas pessoas percam seus empregos” disse Roberto Cidade. “Sou empresário e sei das dificuldades que todos estão enfrentando”, completou.

Continua depois da Publicidade

Após a reunião Josué disse que “ficou claro que existe uma forma segura de retomar as atividades econômicas”, mas isso vai depender da boa vontade do setor privado, do Governo do Estado, Prefeitura de Manaus e também da população. “Existe uma forma segura de reabrir o comércio? Sim. Mas também existem algumas dificuldades que precisamos vencer”, afirmou.

Medidas preventivas

Continua depois da Publicidade

De acordo com o representante da FVS, Daniel Barros, as principais dificuldades a serem enfrentadas são a ampliação da frota de ônibus para evitar aglomerações nos coletivos e adoção de ações para conscientizar a população a obedecer as medidas preventivas. Ele disse ainda que é necessário ampliar o público a ser vacinado e acelerar as imunizações.

O representante da ACA (Associação Comercial do Amazonas), Aly Bawab, sugeriu que o Amazonas adotasse medidas semelhantes as da Turquia, como: abertura do comércio em dias e horários diversificados. “A gente pode colocar quatro dias de trabalho e três de fechamento, com horários de toque de recolher. Se diversificar os horários e os dias vai evitar aquela aglomeração nos ônibus coletivos que é um dos principais vetores de transmissão”, afirmou.

Continua depois da Publicidade

Também participaram da reunião os deputados Adjuto Afonso (PDT), Wilker Barreto (Podemos), o representante da Secretaria de Saúde do Amazonas (SES), Jani Kenta, e empresários do comércio da capital manauara.

* Com informações da assessoria de imprensa