PIM pode perder 10 mil empregos, caso deixe de fabricar acessórios da Apple, alerta Serafim

A decisão da Apple de vender separadamente o celular e os acessórios, além de complicar a situação do consumidor que vai gastar mais, desarticula o Polo Industrial de Manaus.

Redação AM POST

Após o anúncio da empresa Apple de vender o aparelho celular sem os acessórios, já no lançamento do iPhone 12, o deputado Serafim Corrêa (PSB) fez um alerta, na manhã desta terça-feira, 10, durante sessão híbrida da ALE-AM (Assembleia Legislativa do Amazonas), para a possibilidade de 10 mil demissões no PIM (Polo Industrial de Manaus), caso a medida seja adotada no Brasil.

“A decisão da Apple nos Estados Unidos de vender o celular sem os acessórios que o acompanha vai significar que nós vamos perder 10 mil empregos no Polo Industrial de Manaus, porque aqui que se fabrica o carregador, o cabo e o fone de ouvido”, alertou o deputado, lembrando que o assunto foi repercutido na Câmara dos Deputados por Marcelo Ramos (PL).

Continua depois da Publicidade

De acordo com Serafim, a decisão da Apple de vender separadamente o celular e os acessórios, além de complicar a situação do consumidor que vai gastar mais, desarticula o Polo Industrial de Manaus.

“Quero, portanto, somar a minha voz a voz do deputado Marcelo Ramos, no sentido de que o governo brasileiro não permita que isso seja adotado no Brasil. Espero que Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus) não admita isso, porque vai ser a quebradeira de várias empresas que empregam 10 mil brasileiros no meio da floresta amazônica com tecnologia de ponta. Faço voto que seja possível reverter”, concluiu.

A Apple argumenta que os usuários já têm fones de ouvido Lightning, principalmente aqueles que costumam acompanhar as gerações de iPhone, e que grande parte já aderiu aos carregadores sem fio, o que dispensaria o adaptador de tomada. Apple ainda diz que escolha de diminuir a caixa e excluir os adaptadores de tomada ajuda a reduzir a emissão de carbono, além de possibilitar que as caixas sejam enviadas em grande escala.

Continua depois da Publicidade

* Com informações da assessoria de imprensa