Eleições 2022

Após convenções, veja como ficaram as chapas ao governo do Amazonas

Agora, as legendas terão até 15 de agosto para prosseguir com o registro das candidaturas aprovadas nas reuniões dos diretórios nacionais partidários.


Redação AM POST

Foram definidos oito candidatos a governador do Amazonas após o fim do prazo estabelecido pela legislação eleitoral para as convenções partidárias a fim de decidir sobre a formação de coligações e candidaturas para as eleições deste ano.

Continua depois da Publicidade

Os candidatos são: Wilson Lima (União Brasil), Amazonino Mendes (Cidadania), Eduardo Braga(MDB), Ricardo Nicolau (Solidariedade), Henrique Oliveira(Podemos), Carol Braz (PDT), Nair Blair (Agir) e Marcelo Amil ou Israel Tuyuka pelo Psol, que estão em disputa judicial.

Os vices das chapas são: Humberto Michiles (PSDB) com vice de Amazonino; Anne Moura (PT) com Eduardo Braga; Tadeu de Souza (Avante) com Wilson Lima; Cláudio Machado (PDT) com Carol Braz; Rita de Cássia Bezerra Nobre (Agir) com Nair Blair; Cristiane Balieiro (PSB) com Ricardo Nicolau; Vera Lucia Castelo Branco com Henrique Oliveira e o PSOL fez duas convenções a executiva nacional lançou o médico de origem indígena Israel Tuyuka, com Marília Freire de vice. O diretório estadual apresentou Marcelo Amil e Luis Carlos Marques. A questão está sob análise judicial.

Para o Senado Federal, os candidatos homologados nas convenções são Omar Aziz (PSD), Arthur Virgílio Neto (PSDB), Alfredo Menezes (PL), Luiz Castro (PDT), Elissandro (Solidariedade) e Peter Júnior Miranda (Agir).

Continua depois da Publicidade

As convenções são reuniões de filiados para escolha de candidatos e oficialização de coligações que pretendem disputar um cargo eletivo. A definição ocorre por meio de decisão dos filiados, podendo acontecer mediante votação ou aclamação.

Agora, as legendas terão até 15 de agosto para prosseguir com o registro das candidaturas aprovadas nas reuniões dos diretórios nacionais partidários. No dia 16 de agosto começa a campanha oficial, que inclui comícios, caminhadas, distribuição de material gráfico e propagandas na internet.

Continua depois da Publicidade

A propaganda obrigatória no rádio e TV começa no dia 26 de agosto e vai até 29 de setembro. O primeiro turno das eleições está marcado para 2 de outubro.