Eleições 2022

Vídeo: David Almeida afirma que não vota em Lula e não vai apoiar Bolsonaro porque ele ‘está tratando o povo do AM com chicote’

O prefeito de Manaus criticou o presidente devido atitudes de sua administração contra o povo do Amazonas e afirmou que não pode ‘concordar com um governo de burros’.


Natan Gaia – Redação AM POST

O prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), falou nesta segunda-feira (1º) sobre seu posicionamento a respeito da disputa para presidência da República nas eleições deste ano e foi categórico ao afirmar que não vota no ex-presidente Lula (PT) e até gostaria mas não apoio a reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL) devido atitudes de sua administração contra o povo do Amazonas como a publicação na última sexta-feira (29) no Diário Oficial da União do decreto 11.158, alterando novamente a cobrança do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para produtos fabricados na Zona Franca de Manaus (ZFM), que vai gerar desemprego no estado.

Continua depois da Publicidade

“Quero deixa bem claro, eu não sou Lula. Não voto no Lula e não vou apoiar o Bolsonaro. O André Janones [presidente nacional do Avante] falou que vai apoiar o Lula. Problema do Janones, eu sou o David. Eu tenho autonomia no meu partido para decidir para onde eu vou”, declarou.

David explicou durante coletiva de imprensa que tem muitos pontos de visão parecidos com Bolsonaro, por ser conservador e defensor da família, porém, não pode apoiar alguém que ataca o povo do seu estado.

“Bolsonaro está tratando o povo do Amazonas com chicote. Quem o ajudou ele está maltratando. Eu não posso ficar calado nisso. Eu não posso concordar, com um cidadão, que foi eleito com 65% dos votos na cidade de Manaus, tratar tão mal a minha cidade. Eu não vivo diante de um fanatismo cego. As pessoas votaram nele e tem que cobrar ele. Ele ataca a gente e tem gente que aplaude. Quando faltar comida e emprego vão lembrar do que eu estou falando, eu estou pedindo que o povo abra os olhos”, disse.

Continua depois da Publicidade

Almeida revelou que após conversar com os prefeitos de Maués e Presidente Figueiredo, no interior do Amazonas, descobriu que o decreto de Bolsonaro contra a Zona Franca vai prejudicar cerca de sete mil pessoas nessas cidades. “É uma opção dele não dar nada para o Amazonas, como não deu. Agora tirar o que a gente tem e tem gente que aplaude. Tem político aliado dele que defende o fim da Zona Franca. Eu não fico calado”, disparou.

“Eu não entendo o mover do Bolsonaro com relação ao Amazonas. Tem tanta gente burra ao mesmo tempo perto do presidente. Vamos lá, na quarta-feira ele libera a licença ambiental da BR-319, ai tem tanta gente burra do lado dele que na sexta-feira ele zera o IPI dos concentrados e o que ele ganha na quarta ele perde na sexta. Eu não posso concordar com um governo de burros, essa é a realidade. Eu queria estar elogiando o Bolsonaro, queria estar pedindo votos para ele, queria estar dizendo que ele está ajudando a cidade de Manaus mas ele está maltratando a gente”, afirmou.

Continua depois da Publicidade

Veja vídeo: