Coronel Menezes questiona direito de David Almeida receber benefício do Estado por ser ex-governador interino

Político usufrui do benefício de uma lei sancionada na calada da noite e garante três assessores e sete policiais militares pagos pelo Estado a cada ex-governador.

Redação AM POST

O candidato a prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), que foi governador interino do Amazonas por quatro meses em 2017, usufrui do benefício de uma lei sancionada na calada da noite pelo também ex-governador Amazonino Mendes, quando faltavam quatro dias para o fim do seu último mandato, em 27 de dezembro de 2018, e garante três assessores e sete policiais militares pagos pelo Estado a cada ex-chefe do executivo.

Nas redes sociais o candidato a prefeito de Manaus, Coronel Menezes (Patriota), questionou nas redes sociais o direito de David Almeida receber o benefício mesmo não sendo escolhido pelo povo para estar no cargo e o ocupando por pouco tempo.

Continua depois da Publicidade

“Minha pergunta é simples e objetiva: você acha justo alguém que foi por apenas quatro meses governador ter direito por toda vida a 10 assessores pago pelo estado?”, questionou

“O candidato David Almeida enquanto presidente da Assembleia aprovou a “LEI ALFAIATE” para diretamente lhe beneficiar. Isso está correto ???”, completou.

Conforme a lei, os servidores civis pertencerão ao quadro de funcionários da Casa Civil e exercerão o cargo em comissão de Assessor Técnico. Já os militares serão designados por ato do chefe da Casa Militar, “acatando a designação” do ex-governador.

Continua depois da Publicidade

De acordo com o Portal da Transparência, os salários dos assessores dos ex-governadores variam entre R$ 8,5 mil e R$ 9,4 mil.

Confira: