Petista José Ricardo usa fake news de tapa-buraco contra Amazonino, em debate na televisão

Ele mentiu ao afirmar que o candidato pelo Podemos responde a processo por obra de tapa-buraco.

Redação AM POST

O candidato do PT à Prefeitura de Manaus, José Ricardo (PT), mentiu ao afirmar que o candidato pelo Podemos, Amazonino Mendes, responde a processo por obra de tapa-buraco. A Ação Popular 0260539-11.2010.8.04.000, movida pelo petista e o ex-deputado Francisco Praciano, também do PT, foi julgada improcedente em primeiro grau, após o juiz considerar que não houve irregularidades.

José Ricardo e Praciano, adversários políticos de Amazonino, afirmaram que a Emparsanco S/A, em 2009, teve contrato para asfaltar ruas de Manaus, mas que até a data da ação, em 06/12/2010, nenhuma obra teria iniciado, ainda que a empresa tivesse recebido parte dos recursos. A Ação foi julgada improcedente em primeiro grau, por inexistência de ato lesivo ao patrimônio público municipal. Ou seja, a Justiça considerou que não houve ilegalidade. O MP-AM apelou da sentença.

Continua depois da Publicidade

No começo da eleição, levantamento realizado no site do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) mostrou que, mesmo após 40 anos de vida pública, o ex-governador do Amazonas, advogado Amazonino Mendes (PODEMOS), não deve nada ao Poder Judiciário do Estado.

Quatro vezes governador, três vezes prefeito de Manaus e uma vez senador, o agora candidato a prefeito de Manaus é citado em 11 processos no site do TJAM, todos sem condenações. Amazonino é reconhecido como o maior realizador de projetos sociais e de infraestrutura de Manaus e do Estado.

Para ter sua candidatura aprovada na Justiça Eleitoral, Amazonino apresentou todas as certidões negativas da Justiça, em todas as instâncias, que o torna apto a concorrer na eleição, sem qualquer condenação, como candidato “ficha limpa”.

Continua depois da Publicidade

Nesta eleição, José Ricardo perdeu um dia de propaganda eleitoral no rádio e TV por usar, fora do contexto, frase dita por Amazonino em 2011, quando era prefeito. A Justiça decidiu que o candidato do PT usa a expressão fora do contexto original. O programa de José Ricardo com a citação foi retirado do ar.