• Bolsonaro diz que fará o possível para manutenção da ZFM e que manterá ‘escadinhado IPI de concentrados no AM

    Em vídeo ao lado do deputado Silas Câmara, ele indica que um novo decreto será feito para garantir a estabilidade do polo de concentrados na ZFM.
    15/01/2020 16h34 - Actualizado 16/01/2020 10h36

    Foto: reproducción


    Sala de prensa AM POST *

    Presidente Jair Bolsonaro (no hay fiesta), indicou nesta quarta-feira (15) que um novo decreto deve ser feito em breve para garantir uma maior redução da alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), do polo de concentrados da Zona Franca de Manaus (ZFM), que atualmente está em 4%, devido decreto do ex-presidente Michel Temer (PSDB). A informação foi divulgada em vídeo postado no Facebook em que o mandatário aparece ao lado do deputado federal Silas Câmara (PRB-AM), no Palácio do Planalto em Brasília DF.

    Olá amigos do Amazonas, especial para quem vive da Zona Franca de Manaus, um projeto lá de trás do Castello Branco [presidente do país na época que foi implantado o modelo]. Nós devemos fazer todo o possível para que a Zona Franca continue garantido nossa soberania da região amazônica. Estou tratando com o Silas Câmara, houve um lapso, um pequeno problema com os concentrados, o xarope na verdadeA gente vai continuar naquela escadinha para que todos possam se adequar e ninguém ter prejuízo no tocante desta medida que vem lá de trás”, disse Bolsonaro.

    A ‘escadinhaque o presidente se refere é uma redução paulatina de benefícios para o setor de refrigerantes que foi estipulada por Temer em 2018. En julio 2019 Bolsonaro assinou outro decreto que ampliou por um semestre o benefício fiscal e com o fim do ano ele diminuiu novamente.

    A decisão de manter em 4% a redução da alíquota do IPI gerou duras críticas da bancada de deputados federais e senadores do Amazonas. Silas Câmara esteve com o presidente para tratar da situação.

    Ver video:


    *** Si estás a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitando frecuentemente el AM POST.


    Facebook

    economía

    Contacto Terminos de uso