• PF diz que dinheiro desviado em compra de respiradores no AM foi parar em conta bancária no exterior

    Segundo relatório da PF há indícios de possível prática de crime de lavagem de dinheiro.
    30/06/2020 17h59 - Actualizado 1/07/2020 13h11

    Foto: divulgar


    Escribiendo POST AM

    Los R $ 2,9 milhões usados para compra de 28 respiradores no Amazonas foram enviados para uma conta bancária no exterior, conforme informações da Polícia Federal (PF) sobre a deflagração da operação Sangria nesta terça-feira (30) En Manaus.

    Em entrevista coletiva, o superintendente da Polícia Federal no Amazonas, Alexandre Saraiva, disse que a ação é extremamente suspeita. “Eu não me recordo exatamente o nome da empresa, mas é uma empresa sediada no exterior e esse dinheiro foi enviado para lá, o que é uma operação extremamente suspeita juntamente com todo aquele contexto que nós já tínhamos verificado”, dijo.

    Segundo relatório da PF a empresa que enviou o dinheiro é aparentemente de fachada e dá indícios de possível prática de crime de lavagem de dinheiro. O valor do superfaturamento totaliza a quantia de pelo menos R$ 1,7 milhão, até R$ 2,1 millones.

    Prisão de Papaiz
    Alexandre Saraiva também explicou que a titular da Secretaria de Estado de Saúde, Simone Papaiz, teve prisão temporária na Operação Sangria porque a Susam é responsável por dar “o posicionamento técnico para aquisição de material médico”.

    “O que nós percebemos nessa operação é que, além do superfaturamento do preço, havia também uma inconsistência, uma inadequação do equipamento que seria comprado para utilização para socorrer as vítimas da Covid-19. Por isso que o delegado entendeu por bem representar pela prisão dela”, explicou Saraiva.


    *** Si estás a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitando frecuentemente el AM POST.


    Facebook

    economía

    Contacto Terminos de uso