William Bonner diz que dados de seu filho foram usados em fraude do auxílio emergencial

O jornalista afirma que ficou sabendo do caso por meio de um jornal.

Redação AM POST*

O apresentador do Jornal Nacional, William Bonner, disse nesta quinta-feira (21) no Twitter que o nome e o CPF de um de seus filhos foram usados por estelionatários para fraudar o programa de auxílio emergencial – pelo qual o governo federal paga R$ 600 a trabalhadores informais que perderam renda durante a pandemia da Covid-19.

O jornalista afirma que ficou sabendo do caso por meio de um jornal. “Na terça, dia 19, fui informado de que o jornal Meia Hora tinha obtido documentos do suposto registro de meu filho no programa de auxílio emergencial do governo. Meu filho não pediu auxílio nenhum, não autorizou ninguém a fazer isso por ele. Mais uma fraude, obviamente”, publicou Bonner.

Continua depois da Publicidade

Bonner disse ainda que, ao consultar o site do Dataprev, verificou que o pedido foi aprovado. “Pelos critérios do programa de auxílio emergencial, alguém nas condições socioeconômicas do meu filho não tem direito aos 600 reais da ajuda”, escreveu.

“Quantos entre esses [pedidos] realmente fraudaram o programa? Meu filho não fraudou, é vítima e pode provar. Neste caso, o crime é contra ele, contra todos os que tiveram seus nomes indevidamente usados, e também contra todos os brasileiros, porque ataca os cofres públicos”, continuou o jornalista.

Por fim, ele disse que já tomou medidas para resolver o caso. “De nossa parte, apresentaremos nova queixa-crime. Da parte dos gestores do auxílio emergencial, esperamos apuração rápida da fraude, para que se resguardem o patrimônio público e a confiança dos cidadãos nos mecanismos de controle desse programa”, concluiu.

Continua depois da Publicidade