Fatos e Versões

Eduardo Braga e Omar Aziz batem boca na CPI da Covid: “quer trazer a esta comissão a disputa de 2022 no AM”

Os ânimos se exaltaram na comissão entre os dois senadores do Amazonas.

Redação AM POST

Os senadores amazonenses Eduardo Braga (MDB) e Omar Aziz (PSD) bateram boca e trocaram acusações hoje antes do início do depoimento do empresário Carlos Wizard, acusado de fazer parte do chamado gabinete paralelo do governo federal. A discussão, envolveu temas sobre a investigação da condução da pandemia no Amazonas.

Continua depois da Publicidade

Braga (MDB), entrou em defesa de seu aliado o deputado estadual Fausto Junior (MDB), e enfrentou o presidente da CPI da Pandemia, Omar Aziz (PSD), em protesto para ele retirar da pauta da sessão deliberativa da comissão desta quarta-feira (30) os requerimentos que pediam a quebra de sigilo fiscal e bancário da conselheira do TCE-AM (Tribunal de Contas do Estado do Amazonas), Yara Lins, e parentes da magistrada, entre eles Fausto Jr que é filho dela.

O pedido de Braga provocou uma discussão entre os dois senadores do Amazonas e o emedebista acusou o presidente da CPI de usar o cargo como palanque para a disputa política no Estado em 2022.

“Essa comissão não é uma questão de disputa regional”, disse Braga. “Eduardo Braga, Vossa Excelência quer dizer isso pra mim?”, retrucou Omar. “Vossa Excelência está colocando aqui a família da conselheira com quê fundamentação? Isso é opinião de Vossa Excelência que tem a tribuna para fazer, mas não a CPI. A CPI não é instrumento para isso. Será que os senhores senadores aqui estão à vontade para fazer isso dessa forma?”, completou Braga.

Continua depois da Publicidade

“Não é uma questão regional. O Estado do Amazonas está no escopo [da CPI da Pandemia], como o senador Eduardo Braga que toda vez que tem alguma coisa relacionada ao Estado do Amazonas, o senador fazia questão de dizer que tinha dinheiro, por que não comprou respirados, várias vezes. O discurso do senador é sempre o mesmo. O meu comportamento em todas as audições não foi diferente do de ontem. […] O enriquecimento dessa senhora, que é do Tribunal de Contas do Estado, que o filho dela foi relator da CPI [da Saúde, da ALE-AM], e não indiciou o governador [do Amazonas, Wilson Lima], todos os senadores cobraram o indiciamento. Sabe por que? Porque ela recebe vantagem dessas empresas que eu quero quebrar o sigilo fiscal e bancário”, respondeu Omar.

“Quebra o das empresas”, rebateu Braga. “Vossa Excelência está querendo que eu não quebre o de quem, senador? Eu retiro agora [o nome], diga?”, indagou Omar, afirmando que parecia que o colega de parlamento não tinha interessa na investigação.

Continua depois da Publicidade

Depois, Omar Aziz e Eduardo Braga, que já foram governadores do Amazonas, voltaram a discutir sobre pagamentos de verbas indenizatórias no estado.

“Vossa excelência quer trazer a esta comissão a disputa de 2022 no Estado do Amazonas”, acusou Braga.

Continua depois da Publicidade

A pedido de Braga, Omar decidiu adiar para sexta-feira o pedido para apurar suspeitas de corrupção no Tribunal de Contas do Estado do amazonas.

“Vou adiar o pedido de investigação da corrupção que tem dentro do Tribunal de Contas do Estadual do Amazonas, na pessoa da Conselheira Yara Lins, seu filho que foi o Relator da CPI e duas outras pessoas de que eu estou quebrando o sigilo, para a gente votar na próxima sexta-feira”, disse.

Veja vídeo: