Escândalos com o dinheiro público e derrota da base governista na Aleam aproximam Wilson Lima do impeachment

O futuro do chefe de Estado está trilhando um caminho que ele mesmo abriu, e pode ser o segundo governador do Amazonas em menos de quatro anos a ser impeachmado.

Redação AM POST

Enfraquecido após uma derrota vexatória de sua base na disputa que elegeu por 16 votos a 8 a chapa de Roberto Cidade para a nova Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), bem como, denúncias e escândalos com gastos astronômicos por meio de contratos sem licitação e inexigibilidade superando todos os seus antecessores, o governador Wilson Lima (PSC), perdeu a maioria dos parlamentares e pode estar mais próximo do que nunca de sofrer o impeachment no Plenário da Aleam.

Continua depois da Publicidade

Deputados governistas entregam os pontos
Não bastasse a derrota avassaladora sofrida no dia 03 de dezembro encabeçada pelo decano Belarmino Lins (Progressistas), para a nova Mesa Diretora da Casa Legislativa, os deputados da base do governador na Aleam, ainda tentaram reverter à situação ingressando com liminar no Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), que foi concedida pelo desembargador Wellington Araújo, mas que foi barrada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux.

Sem saída, os deputados Alessandra Campêlo e Saullo Viana sinalizaram uma pacificação e aceitaram o resultado da votação, ingressando nesse domingo (13), TJAM, com pedido de retirada do mandato de segurança que pede a anulação da PEC 121/2020, apelidada de “Pec miojo”, que antecipou a eleição. O pedido deve ser analisado nesta quinta-feira (16), pela desembargadora Joana Meirelles.

Líder do Governo prestes a perder o mandato
A deputada Joana Darc (PL) perdeu o controle e passou a protagonizar cenas vergonhosas para o parlamento amazonense. Inconformada com a derrota de sua chapa para a Mesa Diretora da Aleam, a líder do governo na Casa subiu à tribuna da Aleam e proferiu insultos e acusações contra seus colegas parlamentares sem a apresentação de provas, o que torna as denúncias frágeis e infundadas.

Continua depois da Publicidade

Darc pode ter o mandato cassado, após os deputados que venceram a disputa, ingressarem na Comissão de Ética da Casa, denúncia contra a parlamentar por quebra de decoro, calúnia e injúria por acusar colegas de receberem 200 mil cada para eleger o deputado Roberto Cidade (PV) para presidir a no biênio 2021/2022.

Wilson Lima nos maus caminhos
Com a perda da maioria na Aleam, e escândalos de corrupção sendo noticiado semanalmente por veículos de comunicação a nível estadual e nacional, o futuro do chefe de Estado está trilhando um caminho que ele mesmo abriu, e pode ser o segundo governador do Amazonas em menos de quatro anos a ser impeachmado. Ainda assim, Wilson Lima, não recua com sua ganância.

Continua depois da Publicidade

Seguindo na contramão de governos estaduais que já compraram a vacina de imunização para a Covid-19, ou estão em tratativa para aquisição, no Amazonas, Wilson Lima afirmou que prefere esperar pela iniciativa do Governo Federal. Até lá, não haverá negociação com laboratórios. Enquanto isso, o governo Wilson Lima superando todos os governadores que o antecederam contratando sem licitação, de janeiro a novembro R$ 557 milhões, conforme informações constam no Portal E-Compras.

Em 2020, em meio à pandemia, a dispensa mais famosa foi para a compra de 28 ventiladores pulmonares, da importadora FJAP e Cia. Ltda., por R$ 2,97 milhões, para atender pacientes de Covid-19 no Estado, que custaram, em média, quase o dobro dos respiradores comprados pelo governo federal na mesma época. A diferença de preços foi de R$ 48,9 mil por unidade, com sobrepreço já constatado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), a partir de uma representação do Ministério Público de Contas (MPC).

Continua depois da Publicidade

Em clima natalino
O Governo do Amazonas contratou, ainda, por mais de R$ 2 milhões três empresas para montar a árvore de Natal no Largo de São Sebastião no Centro de Manaus. Apesar de ser uma data programada, o Estado fez a contratação por meio de dispensa de licitação utilizando a Lei nº 8.666 sobre dispensa de licitação, citando o estado de calamidade pública em decorrência do Covid-19. A árvore milionária foi inaugurada neste sábado (12).

Peladão abordo
Em plena pandemia da Covid-19, no Amazonas, o governo estadual investiu R$ 1,6 milhão no Peladão 2020. O valor consta em contrato assinado entre a Secretaria de Cultura do Estado (SEC) e a Editora Cultural da Amazônia LTDA, pertencente à Rede Calderaro de Comunicação. Deputados estaduais criticaram o investimento do governo, que chegou a declarar, na última semana, não ter recursos para comprar vacina contra a Covid-19, mas escolheu investir no campeonato realizado pela empresa privada.