Governador Wilson Lima tem medo de ser afastado por corrupção como Witzel no RJ, diz jornalista da Veja

Fontes informaram a Veja que Lima está apreensivo com as investigações envolvendo seu partido.

Redação AM POST

Depois de abafar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) e tirar o risco imediato de impeachment, o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC) teme agora ser afastado como foi seu correligionário e governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC) por uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ). A afirmativa é do jornalista Matheus Leitão, no site da Veja.

De acordo com o colunista fontes ligas a Wilson Lima lhe informaram que ele está apreensivo com as investigações envolvendo o presidente do PSC, Pastor Everaldo, cuja prisão foi transformada em preventiva no início do mês a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR).

Continua depois da Publicidade

A queda de Wilson Lima pode vir por meio do empresário Alessandro Bronze, apontado como lobista que atua no governo do Amazonas, e que é alvo de investigações do Ministério Público Federal (MPF). O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Francisco Falcão, já determinou a quebra de sigilo de Bronze.

Leia mais: Empresário apontado como lobista do governo Wilson Lima tem sigilo de dados quebrado pelo STJ

A determinação do STJ permite acesso a celular, computador, tablet, pen drive, HD externo, DVD, entre outros aparelhos utilizados pelo empresário. Todas as ligações, mensagens, links acessados, localização registrada no celular, cartões de créditos cadastrados de Alessandro Bronze serão apurados na investigação.

Continua depois da Publicidade

No RJ, Witzel foi afastado do governo no dia 28 de agosto por determinação do ministro do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), Benedito Gonçalves, relator da operação Placebo, que investiga desvios de recursos da Saúde cometidos durante a pandemia. No mesmo dia, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), permitiu que a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) retomasse o rito de impeachment do governador.