Justiça

Justiça nega pedido de prisão de policiais rodoviários federais envolvidos na morte de Genivaldo Santos

O pedido foi feito pela defesa da família da vítima, que ainda não se manifestou sobre a decisão.


Redação AM POST

A Justiça Federal de Sergipe negou nesta segunda-feira (13), o pedido de prisão preventiva dos três policiais rodoviários federais que participaram da ação que matou Genivaldo de Jesus dos Santos, na cidade de Umbaúba, no dia 25 de maio.

Continua depois da Publicidade

O pedido foi feito pela defesa da família da vítima, que ainda não se manifestou sobre a decisão. A solicitação dos advogados da família foi feita com base em fraude processual, uma vez que o conteúdo do boletim de ocorrência registrado pelos policiais não confere com as imagens que repercutiram sobre o fato. Um pedido de prisão temporária já havia sido realizado anteriormente.

Genivaldo tinha 38 anos e sofria de esquizofrenia. Ele morreu por insuficiência respiratória aguda provocada por asfixia mecânica, depois que policiais soltaram uma bomba de gás dentro do porta-malas da viatura em que ele foi colocado, após ser detido por dirigir uma moto sem capacete.

Os policiais envolvidos na abordagem são Kleber Nascimento Freitas, Paulo Rodolpho Lima Nascimento e William de Barros Noia. Eles foram afastados pela PRF (Polícia Rodoviária Federal) de suas funções de policiamento.

Continua depois da Publicidade