Manaus

Amigos e familiares de socorrista que morreu atropelado cobram que suspeito não seja solto em audiência de custódia em Manaus

O motorista que cometeu o crime está detido no 1° Distrito Integrado de Polícia (DIP), no bairro Praça 14.


Redação AM POST

Amigos e familiares do socorrista e motorista de ambulância, Francisco das Chagas Ribeiro Cavalcante Junior, 50 anos, que morreu atropelado nesse domingo (19) no bairro Nossa Senhora Aparecida, zona Sul de Manaus, pedem que a justiça para não solte em audiência de custódia o motorista Elias Leite, 33, suspeito de cometer o crime por dirigir embriagado e está detido no 1° Distrito Integrado de Polícia (DIP), no bairro Praça 14.

Continua depois da Publicidade

O presidente do Sindicato dos Condutores de Ambulância do Estado do Amazonas (Sindconam-AM), Manoel Araújo, lamentou a situação. “É lamentável essa situação porque a gente pode saber que pode ser solto numa audiência de custódia. O delegado nos chamou para explicar o mérito da questão e infelizmente é o processo legal que está correndo e a gente se sente envergonhado porque a justiça ainda é muito branda nesse caso de assassinato por embriaguez ou uso de entorpecentes.

O sindicato informou em nota que Francisco das Chagas realizava o check-list da ambulância quando foi atropelado. A vítima deixa três filhos e tinha acabado de realizar o seu sonho de comprar um apartamento que deixa para a esposa e seus filhos.

O velório da vítima foi realizado em uma funerária particular desde às 19h de ontem e seguiu até a tarde desta segunda-feira (20). O cortejo saiu em direção a um cemitério que fica na Manoel Urbano, no município de Iranduba (a 27 quilômetros a sudoeste de Manaus).

Continua depois da Publicidade