Pesquisar por em AM POST

Manaus

CMA vira alvo de investigação do Ministério Público Militar por conduta em ação que desmontou acampamento de manifestantes em Manaus

A investigação toma como base dois ofícios do Governo do Amazonas que relatam a atuação do Exército no dia da operação de desocupação.

  • Por AM POST

  • 20/01/2023 às 21:39

  • Leitura em três minutos

Redação AM POST*

O Ministério Público Militar do Amazonas (MPM-AM) abriu um procedimento interno para apurar possível crime do Comando Militar da Amazônia (CMA), em Manaus. A investigação toma como base dois ofícios do Governo do Amazonas que relatam a atuação do Exército em 9 de janeiro, quando um acampamento de manifestantes foi desmontado em frente ao quartel. Segundo os documentos, no dia da operação, o CMA guardou pertences dos acampados e negociou individualmente, dentro do quartel, com lideranças do movimento local.

PUBLICIDADE

De acordo com o procurador de Justiça Militar do Amazonas, José Luiz Pereira Gomes, o MPM-AM foi informado do episódio pelo Ministério Público Federal (MPF) na última segunda-feira (16), o que suscitou o início da investigação.

“O procedimento aberto é preliminar de investigação, denominado Notícia de Fato, no qual serão apurados, rigorosamente, todos os fatos relacionados na documentação enviada pela Procuradoria da República no Amazonas, no que concerne a crimes militares”, afirmou Gomes. O MPM pode posteriormente decidir oferecer denúncias contra oficiais à Justiça Militar.

A operação de desmonte do acampamento, em Manaus, foi comandada pela Secretaria de Segurança Pública do Amazonas. O governo estadual seguiu a ordem do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, mas também atendeu a uma decisão de mesmo teor da Justiça Federal do Amazonas.

PUBLICIDADE

Foi nesta segunda ação judicial que a Procuradoria-Geral do Estado (PGE-AM) apresentou dois ofícios que relatam a atuação do CMA no dia da operação. No primeiro, o titular da SSP-AM, general Carlos Alberto Mansur, afirma que o Exército “disponibilizou, para quem solicitou, espaço para guarda temporária de material usado no manifesto” e “realizou negociação de forma individual e, dentro do quartel, diferente do tratado em reunião, quando seria em conjunto com a Polícia Militar”.

No segundo ofício, o comandante-geral da PM do Amazonas, Marcus Vinícius Oliveira, afirma que o CMA não disponibilizou soldados para o cumprimento da operação, embora tenha integrado o gabinete de crise criado pelo Governo do Amazonas após os ataques golpistas em Brasília (DF).

PUBLICIDADE

Em nota divulgada à imprensa, o Comando Militar da Amazônia (CMA) confirmou que guardou, por dois dias, materiais de bolsonaristas. “(O armazenamento dos pertences) ocorreu como parte das negociações, para que os manifestantes não mais retornassem ao acampamento, medida tomada em auxílio à SSP-AM para o efetivo cumprimento da medida judicial”.

Já a negociação dentro do quartel aconteceu após pedido dos manifestantes acampados para falar com o comandante do CMA, general Achilles Furlan Neto. “A fim de que as tratativas chegassem ao resultado buscado (desocupação do local sem o emprego de força e com o mínimo de dano colateral), o oficial negociador do CMA conduziu integrantes da manifestação à sala de Relações Públicas para tratar do assunto”, disse o Exército.

PUBLICIDADE

*Com informações da AE

Acompanhar as notícias de Manaus é essencial para quem deseja estar por dentro do que está acontecendo na cidade. Manaus é repleta de história e cultura. Nossa equipe está sempre nas ruas, trazendo as notícias de Manaus com a urgência e a precisão que os eventos da capital amazonense demandam.

O AM Post apoia a causa autista
blank

Um anjo pergunta à Deus: O que é um autista? E Deus lhe responde: É um de vocês que permito descer à Terra!

- Lu Lena

Faça parte da comunidade

  • Praticidade na informação

  • Notícias todos os dias

  • Compartilhe com facilidade

blank WhatsApp Telegram

Apoie o AM POST

O AM POST está há mais de 8 anos produzindo jornalismo sério e de qualidade. É uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Apoie

blank

Últimas notícias

blank
blank
blank
blank
blank
blank