Manaus

Entregador tem pescoço cortado por linha de cerol em Manaus

O motociclista chegou a ser reanimado, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu.

Redação AM POST

Daniel da Silva Rodrigues, 20 anos, que trabalha como entregador de uma drogaria, teve o pescoço cortado por uma linha de cerol na tarde desta quarta-feira (4), na avenida Cosme Ferreira, bairro Zumbi, zona Leste de Manaus.

Continua depois da Publicidade

De acordo com testemunhas, a vítima estava retornando de uma entrega no sentido Centro-Bairro quando foi atingida pela linha usada em ‘papagaios’. Mesmo sangrando intensamente, Daniel ainda conseguiu parar a motocicleta no canteiro da rua e atravessar a via para pedir ajuda.

O motociclista parou uma viatura policial e foi socorrida pelas equipes até o Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio, na Zona Leste de Manaus, onde deu entrada quase desfalecida no setor de emergência. Ele chegou a ser reanimado, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu.

As circunstâncias do caso serão investigadas pela Polícia Civil.

Continua depois da Publicidade

Em Manaus, a Lei 1.698/2015 proíbe a venda e o uso do cerol, mistura de cola e vidro moído, linha chilena de óxido de alumínio e silício, ou de qualquer material cortante usado para soltar papagaios ou similares. A ação só é permitida em áreas estabelecidas pelo Poder Público Municipal.

Comerciantes que estiverem comercializando o cerol podem ser multados em até R$ 2 mil, além de ter o material recolhido. Menores de idade flagrados utilizando cerol podem responder pelo artigo 132 do Código Penal, por colocar a vida de outra pessoa em risco.

Continua depois da Publicidade

Caso haja danos a pessoa, ao patrimônio público ou a propriedade privada, uma multa de R$ 544 será aplicada aos responsáveis pelo adolescente.