Ex-prefeito Arthur Neto gastou mais de R$ 22 milhões em obras durante pandemia em Manaus

Arthur Neto deixou mais de 100 obras em andamento para a atual gestão finalizar enquanto a saúde necessitava mais de atenção básica.

Redação AM POST

O ex-prefeito de Manaus, Arthur Neto (PSDB), resolveu deixar para fazer obras na capital nos últimos momentos de seus mandato e gastou o montante de R$ R$ 22.373.531,59 em um ano de pandemia em que a cidade necessitava mais de atenção básica de saúde.

Continua depois da Publicidade

Entre as obras do ex-prefeito que se pode destacar estão paradas de ônibus que estão interditadas, reformas de terminais de integração inacabadas e o caso do Complexo Viário Professora Isabel Victoria, no bairro Manôa, zona norte de Manaus, segue inutilizado por falta de acabamento.

Vejas as obras inacabadas deixas por Arthur Neto nos pontos em vermelho:

Segundo o Portal da Transparência, por meio do GEO-OBRAS, Arthur Neto deixou mais de 100 obras em andamento para a atual gestão finalizar.

Continua depois da Publicidade

Nesta terça-feira (16), o vice-prefeito de Manaus e secretário de Obras, Marcos Rotta publicou em suas redes sociais que está buscando resolver o mais rápido possível a questão do corredor viário da Avenida Constantino Nery.

Ele ressaltou, ainda, que as equipes da prefeitura “trabalharão para dar às plataformas o padrão de segurança exigido pelo prefeito para os motoristas e usuários, solucionando mais este problema deixado por maus gestores e que tanto prejudica os cidadãos manauaras”.

Continua depois da Publicidade

Saúde
Com os mais de R$22 milhões gastos, ele poderia ter construído pelo menos um hospital de média complexidade com mais de 100 leitos para pacientes de Covid-19. Aliás, Manaus é a única capital do Brasil não tem gestão plena de saúde, que não tem um hospital municipal público, conforme denunciou o atual prefeito, David Almeida.

Para tentar amenizar a negligencia com a saúde no ano que inciou a pandemia da Covid-19, Arthur criou um hospital de campanha para Covid-19, em parceria com a iniciativa privada – com quem brigou –, e desmontou a unidade após pouco mais de dois meses de funcionamento.

Continua depois da Publicidade

De acordo com o Portal da Transparência da Prefeitura de Manaus a unidade de saúde funcionou de abril a junho de 2020, ocupando o prédio do Centro Integrado Municipal de Educação (Cime), no bairro Lago Azul, zona norte da capital e teve dotação orçamentária de R$5.819.848,35 milhões .

Arthur Neto foi questionado pelo Ministério Público do Amazonas (MP-AM) sobre o paradeiro dos materiais utilizados no hospital após fim das atividades, pois, conforme a Prefeitura de Manaus foram distribuídos entre as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da cidade.

*Com informações do portal O PODER