HPS 28 de Agosto é denunciado por superlotação e falta de profissionais

Segundo o Sindicato dos Médicos, que fez a denúncia, os enfermeiros estão sobrecarregados.

Redação AM POST

O Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, localizado na Zona Centro-Sul de Manaus, foi denunciado no último sábado (24) pelo Sindicato dos Médicos do Amazonas (Simeam) que enviou uma equipe ao local para fazer uma vistoria e contatou várias irregularidades como superlotação, falta de profissionais e leitos na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

O objetivo da vistoria, segundo sindicalistas, é identificar as condições de trabalho dos profissionais, falta de material, Equipamento de Proteção Individual – EPI, e outras irregularidades que possam comprometer a vida de médicos e pacientes.

Continua depois da Publicidade

“Os enfermeiros estão sobrecarregados. Além da falta de recursos humanos, os técnicos que estão atuando na linha de frente nem sempre são habilitados e devidamente treinados para atuar na terapia intensiva. Isso compromete todo o resultado do trabalho da equipe multidisciplinar, além de colocar em risco a vida dos próprios pacientes”, ressaltou o presidente do Simeam, Dr. Mario Vianna, que formalizou a denúncia.

De acordo com o Simeam faltam também leitos de UTI na enfermaria para pacientes com Covid-19, que fica no 5º andar da unidade de saúde e uma transferência para o Hospital de Referência, o HPS Delphina Aziz, pode demorar até 48h, fato que já resultou em algumas mortes.

“Isso é um crime. Observamos um alto índice de contaminação local entre os próprios funcionários e pacientes. Além da aglomeração, falta biombo para separar os pacientes uns dos outros. Infelizmente constatamos que as últimas notícias divulgadas sobre a unidade são verdadeiras e isso é alarmante”, avaliou a secretária geral do Simeam, Dra. Patrícia Sicchar.

Continua depois da Publicidade