Manaus

Manifestação em Manaus reuniu mais de 10 mil apoiadores de Bolsonaro em defesa do voto impresso auditável

O protesto teve início por volta das 15h e percorreu várias ruas da capital amazonense.

Redação AM POST

Mais de 10 mil pessoas se reuniram na tarde deste domingo (1º/08) em Manaus para manifestar apoio ao voto impresso auditável. A pauta está em ampla discussão nacional e ganhou destaque com a live semana do presidente Jair Bolsonaro, onde ele apontou os indícios de fraudes nas urnas eletrônicas.

Continua depois da Publicidade

Entre os participantes estavam membros dos movimentos Pro Armas, Direitando Amazonas, Direita Amazonas, Gambito, CAC, Júlio Nunes e Rua Direita. O deputado federal Capitão Alberto Neto (Republicanos), vice-líder do Governo Bolsonaro, o ex presidente da Suframa, Coronel Alfredo Menezes, Romero Reis e Chico Preto também participaram do evento.

O protesto teve início por volta das 15h, percorreu várias ruas da capital amazonense, sendo encerrado no Complexo Turístico da Ponta Negra, onde políticos conservadores fizeram discursos em favor da pauta que visa o fortalecimento da democracia no Brasil.

Capitão Alberto Neto ressaltou que a aliança entre os grupos de Direita fortalece a defesa das pautas que buscam beneficiar o país.

Continua depois da Publicidade

“Essa aliança da Direita para que possamos fortalecer a democracia, para que a Direita continue governando este país, levando prosperidade para o nosso povo. E hoje é dia da Aliança apoiar o voto impresso e a nossa democracia”, disse.

Lucas Lima, do movimento Direitando Amazonas, endossou a amizade entre os movimentos. “Estamos todos juntos para mostrar que não existe monopólio de movimentos, mas estamos todos juntos, com os outros estados do Norte do Brasil, e do nosso presidente, é uma aliança pelo nosso país”, ressaltou.

Continua depois da Publicidade

O principal apoiador de Bolsonaro no Amazonas, coronel Alfredo Menezes (Patriota), esclareceu que o evento foi pacífico e a favor do voto impresso auditável. Ele afirmou que o movimento não pede o fim do voto eletrônico como andam afirmando com “fake news”.

“Queremos deixar bem claro que a contagem eletrônica continua igual, pois o que queremos é que ao lado do voto eletrônico seja colocada uma urna e uma impressora para que o eleitor tenha a certeza e a transparência de que aquele candidato que ele votou esteja lá e seja computado o voto dele. Essa é a proposta do governo federal”, informou.

Continua depois da Publicidade

Na última live realizada pelo presidente Bolsonaro, quinta-feira passada, Bolsonaro apresentou inúmeros indícios que as urnas eletrônicas podem ser fraudadas até com uma certa facilidade, por isso, ser imperioso a possibilidade da auditagem.

* Com informações da assessoria de imprensa