Manaus

MP-AM dá parecer favorável a prorrogação de prisão temporária de suspeitos envolvidos no caso Flávio

Promotor de Justiça considera que a prisão temporária se torna pertinente neste momento uma vez que o crime investigado é grave, complexo, envolve múltiplos investigados.


Redação AM POST

O Ministério Público do Amazonas (MP-AM) divulgou nesta quinta-feira (31) o parecer positivo para a prorrogação da prisão temporária dos seis presos suspeitos de cometerem o assassinato do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos, de 42 anos, que foi encontrado morto na tarde do dia 30 de setembro em um terreno no bairro Tarumã, zona oeste de Manaus, horas depois de estar no condomínio Passaredo, no bairro Ponta Negra, na casa de Alejandro Valeiko, filho da primeira-dama de Manaus, Elizabeth Valeiko.

Continua depois da Publicidade

O promotor de Justiça José Augusto Taveira considerou que, sendo a prisão temporária um instrumento legal à disposição dos delegados que investigam o caso, ela se torna pertinente neste momento uma vez que o “crime investigado é grave, complexo, envolve múltiplos investigados e ainda há diligências a serem cumpridas.

Leia nota na íntegra:
O Promotor de Justiça José Augusto Taveira, respondendo pela 14ª Promotoria com atuação no Tribunal do Júri e designado para atuar nos processos judiciais relacionados ao Caso Flávio, se posicionou pela prorrogação da prisão temporária dos envolvidos, atendendo o pedido formulado pelas autoridades policiais. Os autos foram remetidos à senhora Juíza da 2ª Vara do Tribunal do Júri, nesta quinta-feira (31/10). O promotor considera que, sendo a prisão temporária um instrumento legal à disposição dos delegados que investigam o caso, ela se torna pertinente neste momento uma vez que o crime investigado é grave, complexo, envolve múltiplos investigados e ainda há diligências a serem cumpridas. Sendo natural que haja pedido de prorrogação. Em que pese ter tido parecer favorável do Ministério Público, caberá à Justiça analisar e decidir sobre o pedido de prorrogação das prisões.