MPT quer bloquear verbas publicitárias que A Crítica tem para receber do governo Wilson Lima para quitar débitos trabalhistas

A empresa de Jornais Calderaro será investigada pelo Ministério Público do Trabalho por atrasar salários de funcionários.

Redação AM POST*

Inquérito civil instaurado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) vai investigar empresa de Jornais Calderaro Ltda, que responde pelo Jornal A Crítica, Manaus Hoje e Portal A Crítica, por atraso no pagamento de salários, férias, não recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e também Previdência Social (INSS), além de manter contratos irregulares com profissionais jornalistas.

Jornalistas da empresa decretaram greve no último dia 7 de setembro que encerrou na sexta-feira (18), durante esse período 11 profissionais foram demitidos como forma retaliação. Os demais trabalhadores retornaram ao trabalho nesta nesta segunda-feira (21) após comprometimento da empresa de regularizar pendencias num prazo de 60 dias.

Continua depois da Publicidade

O Ministério Público do Trabalho pede no inquérito o bloqueio de verbas publicitárias que a Empresa de Jornais Calderaro tenha para receber junto ao governo do Estado, Prefeitura de Manaus e outros entes públicos e privados para quitar as pendencias trabalhistas.

A presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Amazonas (SJPAM), Auxiliadora Tupinambá, afirma que prepara uma ação coletiva contra a empresa pela coação com as demissões e o assédio cometido durante a paralisação das atividades. Além disso, os jornalistas preparam ações individuais junto à representação jurídica do sindicato pelos prejuízos financeiros, assédio, entre outros.

*Com informações do Portal do Holanda

Continua depois da Publicidade