Operação Máfia dos Caixões: Prefeitura de Manaus diz que servidor foi exonerado antes de denúncia de corrupção

Polícia Civil deflagrou operação nesta terça-feira (3) na zona Centro-Sul.

Redação AM POST

A Prefeitura de Manaus se manifestou por meio de nota sobre o caso de Marionilson Barros Monteiro, ex-diretor da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), que foi alvo da Operação Máfia dos Caixões deflagrada na manhã de nesta terça-feira (3) pela Polícia Civil, na zona Centro-Sul.

Segundo a prefeitura ele foi exonerado no Diário Oficial do Município (DOM), edição 4.535, de 8 de fevereiro de 2019. O município reforça que não coaduna com nenhum ato de ilicitude e que tem dado todo o apoio necessário aos órgãos que atuam na apuração dos fatos, para que as devidas medidas legais e administrativas possam ser adotadas.

Continua depois da Publicidade

Em maio deste ano, quando houve a denúncia do suposto envolvimento do ex-servidor em ação de recebimento ilegal de dinheiro, a Semasc encaminhou ao Ministério Público do Estado do Amazonas (MPAM) dados sobre processos licitatórios, contratos e operacionalização do serviço SOS Funeral, destinado a pessoas em situação de vulnerabilidade social e econômica que não podem arcar com as custas do sepultamento.

É importante destacar que os contratos são estimativos, ou seja, as urnas são solicitadas conforme a demanda do serviço, sendo pago aquilo que foi efetivamente entregue, nos valores unitários previamente licitados e que sequer podem ser alterados por mera liberalidade do gestor. Vale ressaltar, ainda, que cada tamanho de urna licitado possui um valor diferenciado e previamente estabelecido.

Por fim, a Prefeitura de Manaus reforça o compromisso de se preservar a idoneidade do serviço público, se colocando à disposição dos órgãos de controle para os esclarecimentos devidos.

Continua depois da Publicidade