Manaus

Vereador David Reis admite incompetência e se complica ao tentar corrigir trapalhada

Após ser alvo de protesto, o vereador divulgou nota pública em que fala em tentar consertar trapalhada ao mudar nome de praça em Manaus.

Redação AM POST*

Manifestação do movimento negro na última quarta-feira (28) contestou o presidente Câmara Municipal de Manaus, vereador David Reis (Avante), que é autor do Projeto de Lei 354/2021 que deu a uma praça no bairro Praça 14 de Janeiro, na esquina da Avenida Japurá com a Rua Afonso Pena, o nome Oscarino Peteleco em homenagem ao famoso ventríloquo amazonense e retirou o de Nestor Nascimento, um dos principais líderes negros da história do Amazonas. Os manifestantes pedem que se mantenha o nome da praça.

Continua depois da Publicidade

Após o protesto, o vereador divulgou nota pública em que fala em tentar consertar a trapalhada que ele mesmo fez e vai apresentar outro PL que oficialize o nome na praça como Nestor Nascimento. Com o recuo, ele admitiu que não conhece a história do Estado e montou uma assessoria incompetente.

“Consolida o desejo manifestado pela população do bairro, em manter preservada a memória de Nestor Nascimento, ativista do movimento negro no Estado e, que, desde os primórdios, este à frente da luta em defesa do reconhecimento oficial do Quilombo Urbano do Barranco de São Benedito, segundo quilombo urbano certificado do país, no ano de 2014”, diz trecho da nota para justificar o recuo.

Defesa do pai
Durante a manifestação, o titular da Secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp), Sabá Reis, foi até o local para conversar com os manifestantes e tentar limpar a imagem de seu filho, David Reis.

Continua depois da Publicidade

“A manifestação que vocês fizeram aqui foi importante, pois se não tivesse ocorrido, aqui iria ocorrer um equívoco. Eu estou aqui nessa praça, trabalhando a mais ou menos um mês, como é possível notar, durante esse período, não apareceu nenhuma ‘santa e viva pessoa’ para me dizer ou alertar […]”, disse Sabá.

Para corrigir a trapalhada do vereador a prefeitura de Manaus disse em nota que deve revogar a legislação e manter o nome do ativista negro no local.

Continua depois da Publicidade