Maus Caminhos: Wilson Alecrim é condenado a 13 anos de prisão por corrupção passiva

Ele também foi multado em R$ 1,5 milhão e terá que devolver propina de R$ 3,3 milhões recebida entre 2014 e 2016.

Redação AM POST

A juíza Ana Paula Serizawa, da 4ª Vara Federal do Amazonas, condenou o ex-secretário de Saúde do Amazonas Wilson Duarte Alecrim a 13 anos e quatro meses de prisão pelo crime de corrupção passiva por receber R$ 3,3 milhões em propina entre 2014 e 2016 para facilitar esquema de fraudes na Saúde do Amazonas descoberto pela Operação Maus Caminhos.

Continua depois da Publicidade

Wilson Alecrim também foi multado em R$ 1,5 milhão e terá que devolver os R$ 3,3 milhões, acrescidos de atualização monetária. A magistrada manteve as medidas cautelares impostas ao ex-secretário.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF) entre março de 2014 e setembro de 2016, o ex-secretário teria recebido R$ 133.500 mensais do médico Mouhamad Mustafá e da advogada Priscila Marcolino em troca da permissão da entrada do Instituto Novos Caminhos.

Em interrogatório, a delatora na ‘Maus Caminhos’, Priscila Coutinho, confirmou que os pagamentos ao ex-secretário tinham dois objetivos: “recompensá-lo por seu papel decisivo na habilitação irregular do Instituto Novos Caminhos como organização social, como a CGU demonstra na Nota Técnica 2779/2016; e também para manter a ausência de fiscalização da Susam em relação à atuação do INC”.

Continua depois da Publicidade

Alecrim foi preso preventivamente na Operação Custo Político, segunda fase da ‘Maus Caminhos’, deflagrada pela Polícia Federal e MPF em dezembro de 2017.

*Com informações do Amazonas Atual

Continua depois da Publicidade