Pesquisar por em AM POST

Mundo

Suspeita de atentado à bomba que matou blogueiro militar russo é presa

Caso é investigado como assassinato premeditado

  • Por AM POST

  • 03/04/2023 às 06:30

  • Leitura em dois minutos

Foto: Reprodução/Internet

Agência Brasil

Vladlen Tatarsky, blogueiro militar russo e defensor da guerra na Ucrânia, morreu nesse domingo (2), vítima de uma explosão num café de São Petersburgo. O caso está sendo investigado, segundo as autoridades russas, como um assassinato premeditado. A principal suspeita, identificada como Darya Trepova, foi detida.

PUBLICIDADE

Conhecido como Vladlen Tatarsky, mas com o nome de nascimento de Maxim Fomin, o blogueiro participava de um debate quando foi morto num café, às margens do Rio Neva, no centro histórico de São Petersburgo. Dados preliminares das autoridades indicam que a bomba se encontrava dentro de uma estatueta oferecida ao blogueiro.

Mais de 30 pessoas ficaram feridas na explosão, de acordo com o Ministério da Saúde da Rússia, e foi aberta investigação por “assassinato de alto escalão”, na terminologia judicial russa. Meios de comunicação social russos e outros blogueiros militares informaram que Tatarsky estava reunido com um grupo de pessoas, quando recebeu uma caixa, entregue por uma mulher, com um busto que acabou por explodir.

O conselheiro presidencial ucraniano Mykhailo Podolyak atribuiu a explosão a uma “luta política interna” russa.

PUBLICIDADE

“As aranhas estão se comendo umas às outras numa jarra”, escreveu no Twitter. “A possibilidade de haver terrorismo interno como instrumento de luta política interna era questão de tempo”.

A porta-voz do Ministério russo dos Negócios Estrangeiros, Maria Zakharova, acusou a Ucrânia, alegando que as atividades de Tatarsky “conquistaram o ódio do regime de Kiev” e que, à semelhança de outros blogueiros, há muito que o influenciador pró-russo enfrentava ameaças ucranianas.

PUBLICIDADE

Yevgeny Prigozhin, chefe do grupo paramilitar Wagner, disse que “não culparia o regime de Kiev”, mas um “grupo de radicais”.

O grupo patriótico russo organizador do evento, Cyber Front Z, alega que adotou medidas de segurança, mas reconhece que “foram insuficientes”.

PUBLICIDADE

“Houve um ataque terrorista. Tomamos certas medidas de segurança, mas infelizmente não foram suficientes”, afirma em publicação no Telegram.

O AM Post apoia a causa autista
blank

Essas crianças autistas não estão fugindo ou escondendo-se, elas, de fato, estão perdidas, à espera de que alguém va ao seu alcance.

- Anne Alvarez

Faça parte da comunidade

  • Praticidade na informação

  • Notícias todos os dias

  • Compartilhe com facilidade

blank WhatsApp Telegram

Apoie o AM POST

O AM POST está há mais de 8 anos produzindo jornalismo sério e de qualidade. É uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Apoie

blank

Últimas notícias

blank
blank
blank
blank
blank
blank