Mundo

Vaticano: Papa Francisco passa bem após cirurgia no intestino

Pontífice foi operado na Policlínica Agostino Gemelli, em Roma.

O papa Francisco, de 84 anos, foi submetido a uma cirurgia bem-sucedida neste domingo (4), na Policlínica Agostino Gemelli, em Roma, para correção de um problema de cólon, informou o Vaticano.

– O Santo Padre reagiu bem à operação conduzida com anestesia geral – revelou o porta-voz do Vaticano, Matteo Bruni, em um comunicado divulgado pela Santa Sé.

Continua depois da Publicidade

A intervenção, que havia sido programada por conta de uma “estenose sigmóide diverticular”, foi realizada pelo Dr. Sergio Alfieri, sem maiores detalhes no momento, como, por exemplo, sua duração.

Também não foi divulgado quanto tempo o pontífice terá de permanecer sob observação, embora a imprensa local tenha estimado em cinco os dias que ele terá de ficar internado, segundo fontes do hospital.

Na breve nota oficial, além do Dr. Alfieri, foram mencionados os nomes dos outros oito médicos presentes durante a operação, incluindo o pessoal do pontífice, Roberto Bernabei.

Continua depois da Publicidade

Poucas horas antes da cirurgia, a primeira a que foi submetido desde sua eleição, Francisco presidiu a oração dominical do Angelus e anunciou aos fiéis reunidos na Praça de São Pedro, no Vaticano, sua próxima viagem à Hungria e Eslováquia, de 12 a 15 de setembro.

– Esta tarde, o papa Francisco foi levado ao Hospital A. Gemelli, em Roma, onde será submetido a uma cirurgia programada para tratar uma diverticulite do cólon – disse Bruni, quando inesperadamente anunciou a operação pouco depois das 15h (horário local, 10h de Brasília).

Continua depois da Publicidade

Duas horas antes, o pontífice havia sido internado no hospital de forma totalmente anônima e acompanhado apenas por um motorista e por um de seus colaboradores mais próximos, de modo que sua presença passou despercebida no centro médico, segundo fontes hospitalares citadas pela imprensa local.

Francisco foi levado ao 10º andar da Policlínica Universitária, mesma área que no passado já recebeu o papa João Paulo II, acrescentam as fontes.

Continua depois da Publicidade

O anúncio da operação foi uma surpresa, pois não se sabia que Francisco teria de se submeter a uma operação que estava marcada para o início de julho, mês em que o pontífice reduz ao máximo suas ações para descansar e apenas mantém sua presença na oração dominical do Angelus.

De acordo com especialistas em sistema digestivo, o objetivo desse tipo de cirurgia é reduzir os problemas causados pelos divertículos, que são pequenas hérnias na parede do cólon com largo espectro de manifestações clínicas incluindo sangramento, inflamação (diverticulite) ou complicações associadas a esta (obstrução ou perfuração).

A doença diverticular do cólon é muito comum na sociedade ocidental e afeta quase 65% da população aos 85 anos de idade.

Nos últimos tempos, Francisco sofreu vários ataques de ciática que o obrigaram a adiar alguns compromissos, mas outras doenças são desconhecidas, exceto aquelas que o próprio Papa revelou no passado.

Em entrevista ao jornalista e médico argentino Nelson Castro em Roma em 2017, o pontífice deu detalhes da operação que sofreu em 1957, quando era um seminarista de 21 anos, para remover o lóbulo superior do pulmão direito em que haviam detectado três cistos e uma vesícula biliar posterior, anos depois.

Ele também relatou um problema cardíaco em 2004 e disse que quando já era papa foi diagnosticado com esteatose hepática, que superou com uma dieta especial que também o fez perder peso.

Francisco também explicou que tem um estreitamento do espaço intervertebral entre a quarta e a quinta vértebras lombares, e entre esta e o sacro, e que sofre de pés chatos, razão pela qual às vezes é visto andando “como uma galinha choca”.

Fonte: EFE