Pesquisar por em AM POST

Mundo

Vídeo de judeus cuspindo no chão enquanto cristãos passam causa polêmica em Israel

A polícia de Israel informou que já prendeu alguns dos suspeitos envolvidos no ato.

  • Estadão Conteúdo

  • 04/10/2023 às 19:19

  • Leitura em dois minutos

blank

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Um vídeo que mostra judeus ortodoxos cuspindo perto de uma procissão de cristãos em Jerusalém gerou indignação e aumentou as tensões religiosas na capital cujo as três religiões abraâmicas consideram sagrada. A polícia de Israel informou nesta quarta-feira, dia 4, que prendeu alguns dos suspeitos envolvidos no ato.

O ocorrido foi registrado na segunda-feira, dia 2, por um repórter do jornal israelense Haaretz. Nas imagens, é possível ver um grupo de peregrinos estrangeiros iniciando sua procissão pelo labirinto de calcário da Cidade Velha, lar do local mais sagrado do Judaísmo, o terceiro santuário mais sagrado do Islã e um dos principais locais cristãos.

PUBLICIDADE

Erguendo uma cruz gigante de madeira, os homens e mulheres refizeram a rota da Cidade Velha que acreditam que Jesus percorreu antes de sua crucificação. Durante o percurso, eles se depararam com judeus ultraortodoxos segurando folhas de palmeira para os rituais do feriado judaico de Sucot. Ao passarem, pelo menos sete dos judeus cuspiram no chão ao lado do grupo cristão.

Uma pessoa foi detida pela polícia israelense. Outros quatro suspeitos foram presos por cuspir em igrejas. Um foi acusado de agressão e quatro foram acusados de conduta desordeira ilegal, disse o porta-voz da polícia Dean Elsdunne. A polícia não respondeu perguntas sobre a identidade dos detidos, afirmando apenas que um deles era menor de idade.

O primeiro-ministro israelita, Binyamin Netanyahu condenou a atitude. Os cristãos – a grande maioria dos quais são palestinos que se consideram vivendo sob ocupação na Jerusalém Oriental anexada por Israel – associaram o aumento do vandalismo e dos ataques anticristãos ao governo de extrema-direita de Netanyahu, que dizem estar encorajando os extremistas judeus.

PUBLICIDADE

A mídia israelense informou que um dos aliados de extrema direita de Netanyahu, o legislador Simcha Rothman, estava na marcha durante a qual judeus ultraortodoxos cuspiram nas igrejas

Essas preocupações sobre a crescente intolerância parecem violar o compromisso declarado de Israel com a liberdade de culto e a confiança sagrada nos lugares sagrados, consagrados na declaração que marcou a sua fundação há 75 anos. Israel dominou Jerusalém Oriental numa guerra de 1967 e mais tarde a anexou, num movimento não reconhecido internacionalmente.

PUBLICIDADE

Existem hoje cerca de 15 mil cristãos em Jerusalém, a maioria deles palestinos que se consideram vivendo sob ocupação. Fonte: Associated Press.

Estadão Conteúdo

PUBLICIDADE

Faça parte da comunidade

  • Praticidade na informação

  • Notícias todos os dias

  • Compartilhe com facilidade

blank WhatsApp Telegram

Apoie o AM POST

O AM POST está há mais de 8 anos produzindo jornalismo sério e de qualidade. É uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Apoie

blank

Últimas notícias

blank
blank
blank
blank
blank
blank