Polícia

Adolescente diz que mãe flagrou padrasto a estuprando mas preferiu manter o casamento e perdoá-lo em Manaus

Mesmo após o caso ser denunciado a mãe reteve os documentos da vítima.


Redação AM POST

Uma adolescente de 14 anos relatou em depoimento na Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) que era estuprada desde os 10 anos pelo padrasto com consentimento da própria mãe que ao flagrar um dos abusos sexuais decidiu perdoá-lo e seguir com o casamento. O suspeito foi preso na manhã desta quarta-feira (18) no bairro Santo Agostinho, zona Oeste de Manaus.

Continua depois da Publicidade

“Ela disse que a genitora soube desde o início e que ela teria presenciado um dos atos e mesmo assim ela ‘perdoava’ todas as vezes o marido, foi essa palavra que a adolescente usou, continuava a ser abusada”, disse a delegada Joyce Coelho, titular da Depca.

De acordo com a menina, o caso só foi denunciado após ela não aguentar mais e contar tudo para uma tia que a acolheu em casa e levou o caso à polícia no ano passado. Mesmo assim ela afirma que a mãe constantemente a pressionava reteve os documentos da menor.

“A própria genitora reteve os documentos dessa adolescente, ela nos procurou essa semana relatando que nem os documentos ela tinha cedido (…) Então nós cumprimos hoje pela manhã esse mandado de medida preventiva”, contou a delegada.

Continua depois da Publicidade

Conforme a delegada, as diligências em relação ao caso iniciaram no momento em que uma familiar da vítima compareceu à Depca para realizar a denúncia contra o infrator, comunicando que a vítima estava sendo violentada sexualmente pelo padrasto há mais de um ano.

Ainda de acordo com a autoridade policial, após o registro, a jovem foi encaminhada para acolhimento no Serviço de Acolhimento Institucional de Crianças e Adolescentes (Saica), porém, ainda manifestava interesse em morar com sua mãe. Diante disso, foi expedida uma medida protetiva para que ela voltasse a residir com ela.

Continua depois da Publicidade

“Entretanto, devido à proximidade da mãe com o infrator, além da pressão que ela sofria na residência, a jovem compareceu à delegacia e notificou a situação para a autoridade. Foram realizadas diligências e ficou constatada a veracidade do delito, sendo solicitado à Justiça pelo mandado de prisão preventiva do indivíduo, e a ordem judicial foi decretada no dia 30 de abril deste ano, pela juíza Rosália Guimarães Sarmento, da Central de Plantão Criminal”, detalhou a titular da Depca.

O depoimento da mulher está marcado para esta quarta-feira (18) na sede da Depca e deve ser indiciada por estupro de vulnerável na forma omissiva.

Continua depois da Publicidade

O homem responderá pelo crime de estupro de vulnerável. Ele será levado para à Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde ficará à disposição do Poder Judiciário.