Polícia

Antes de entrar em coma menino de 4 anos revelou que madrasta pisava em seu estômago e o enforcava em Manaus, diz Polícia

O pai e a madrasta da criança foram presos nesta quarta-feira (15) suspeitos de torturar a vítima.


Redação AM POST

A criança de 4 anos, que está internada no Hospital da Criança da Zona Oeste em coma, desde o último sábado (10), com hematomas pelo corpo, marcas de mordidas, cortes na região do pênis e ferimento no rosto e no crânio, revelou a polícia que a madrasta pisava em seu estômago e o enforcava. O pai e a madrasta foram presos nesta quarta-feira (15) suspeitos de torturar a vítima.

Continua depois da Publicidade

As diligências iniciaram no dia 31 de maio deste ano, quando um familiar da vítima compareceu à delegacia para realizar denúncia, e informou que a criança estava sendo vítima de tortura praticada pela madrasta e pelo pai.

“A criança formalizou sob escuta especializada, no dia 31 de maio, que a sua madrasta o agredia fisicamente, pisava em seu estômago, a enforcava e a jogava no chão, mas que mesmo assim teria retornado ao ambiente em que o pai e madrasta viviam”, ressaltou a delegada Joyce Coelho, titular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca).

Segundo a delegada, o menino mora com a mãe, mas passa o final de semana com o pai de 31 anos, a madrasta de 28 e outro irmão de 7 anos, Nesses períodos ele era constantemente espancado pela mulher. As agressões foram confirmadas pelo irmãozinho mais velho.

Continua depois da Publicidade

No último dia 10, quando o menino deu entrada com parada cardiorrespiratória, os médicos tiraram uma tampa de creme dental de dentro do corpo da criança e encontraram várias lesões graves no rosto, cabeça e pênis dela.

“Infelizmente a criança está em estado grave, não conseguimos ouvi-lo. Mas, por meio de escuta especializada, falamos com seu irmão mais velho, que nos confirmou que sua madrasta e seu pai os agrediam constantemente”, explicou a delegada.

Continua depois da Publicidade

Com base nas informações coletadas, foi solicitado à Justiça pelos mandados de prisão temporária em nome do casal, e as ordens judiciais foram expedidas na terça-feira (14/06), pela juíza Rosália Guimarães Sarmento, da Central de Plantão Criminal.